quinta-feira, 23 de junho de 2011

TRISTE FOI A MINHA INFÂNCIA.

                 No Alentejo, onde, nasci,
              Lá no Monte do Vale Burro
              Foi lá que minha mãe perdi
               Quando, ainda, era miúdo
              Fiquei triste quando percebi
                    A brincar, eu, andava
                   Quando em casa entrei
                 Minha mãe morta  estava
                     Na cama já sem vida
                  Para sempre me deixava
                 Parecia estar adormecida
                  Quando morta já estava

3 comentários:

  1. Tua infancia não foi a minha,
    mas tal da minha vizinha,
    ela pequena como eu,
    quão tristeza sem mãezinha...

    Eu não sabia como ela sentia
    ouvia dizer que doia
    e sem poder nada fazer,
    apenas chorei como amiguinha...

    Versos lindo, embora triste
    essa dor quisera nunca existisse,
    para sangrar os corações...

    Bjs

    Livinha

    ResponderEliminar
  2. Lembranças triste é melhor esquecer!

    ResponderEliminar
  3. Eduardo

    Que as tristezas de infância sejam têmpera para arrostar o presente e o futuro.

    Abraço

    SOL da Esteva
    http://acordarsonhando.blogspot.com/

    ResponderEliminar