terça-feira, 30 de setembro de 2014

"NOITES SEM LUAR"

(Imagem Google)
Quem não aprende a ser alguém!
na vida sempre a ser ninguém continuará
quem amores na vida, também, os não têm
sem eles,  por eles toda a vida chorará?

  Em quem, e no que, estará ela a pensar,
 dos seus lindos olhos, brota luminosos desejos
 como duas estrelas no céu em noites sem luar
   nos seus lábios iluminando doces beijos.

Se acontece por acaso...
 amor sem destino à avessas
louco perdido no descampado
escrito com falsas promessas
num poema mal imaginado.

Pelos olhos dela encandeado,
numa estrada de terra barrenta
 deste então, feliz, vive apaixonado
 por aquela, linda, gaiata morena!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

"SÃO MARMELOS"

Bom dia e bom começo de semana!
são marmelos por mim assados no forno
comece bem o dia, amigo, amigo, não engana
a dizê-lo com toda a sinceridade me afoito.

Temperados com açúcar amarelo,
confirmo, 100% de garantia
tem doçura e bom espeto
estão mesmo uma delicia!

Têm certificado de qualidade,
se é servido ou servida
façam favor, sirvam-se à vossa vontade
porque, são as coisas boas da vida
que nos fazem sorrir de alegria e felicidade!
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 27 de setembro de 2014

"BOM FIM DE SEMANA"

(Imagem Google)
De alegria, não de tristeza, seriam as lágrimas!
se houvesse justiça social em todo o mundo 
creio não serem precisas mais palavras
se com estas, do que penso, digo tudo.

 Bom fim de semana!
para inspirar com esta flor
onde quer que você esteja
com tudo o que deseja
  Paz e muito Amor...
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

"HISTORIETA"

Podia ser verdadeira!...
a historieta que vou contar
entrou no quarto a ventania
deitado na cama a sonhar
escorreguei na banheira
a cambalear caí dentro da bacia
bati com a cabeça no alguidar
no meio daquela escuridão
não sabia onde estava
para acender o lampião
se tinha ou não torcida
tive a forte sensação
era de noite, não de dia
algo estranho me empurrava
malhei com o corpo no chão
 hoje de manhã o galo cantava!
(Eduardo Maria Nunes)

terça-feira, 23 de setembro de 2014

"A VACA, O CHOCALHO E O ESPANTALHO"









(Imagens Google)

 A caminho da substituição dos espantalhos!
nas hortas estão mais que identificados pela passarada
pendurados no pescoço das vacas tocam os chocalhos
 no poleiro cantam os galos de madrugada!

Numa Nação mal governada!
banhada pelo Oceano Atlântico
quem tudo quer fica sem nada
porque os sonhos são engano.

Um jardim à beira do mar plantado,
cujo o jardineiro não sabe as flores podar
será como um barco no cais encostado
ferrugento, parado sem navegar.

 Já andam, pelo país, a prometer,
alguns impostos, poder, baixar
eu lhes digo, o meu não vão ter
 em mentirosos, mais não vou votar.

Não se esqueça de quando for votar,
de o não fazer nos que lhe tiram o pão
é preciso, urgentemente, desinfectar
toda a existente no país contaminação!

Mas, todo aquele que mais quer,
convencido,  coloca lá à toa a cruzinha
depois esfaimado sem pão para comer 
e nada mais, em cima da mesa da cozinha
 por tudo e por nada, reclama sem razão ter
porque esta nação está mui pobrezinha
o povo também não soube escolher
quando lá foi colocar a cruzinha!

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

"FLORES"

(Imagem Google)
Fica com ele ou com ela, quem?
quem o amor deixou abalar
quem com quem não tem alguém
para com quem poder rimar
sem ninguém fica também
até ter outro alguém para amar!

Nas nuvens do apressado tempo,
só as saudades não consegue levar
correm, loucamente, com o vento
 são pois, os pensamentos a voar.

 Nas ondas, flutuantes, da atmosfera,
navegando nos versos do amor e da paixão
na luxuosa nave da poesia, cuja tripulação,
são as mais lindas flores de primavera.

 Todavia, ainda, não sei como o fazer,
o que não tenho aqui, lá poder encontrar
daqui para outro lugar, qual não sei dizer
quem me dera ter asas para poder voar!
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 21 de setembro de 2014

"BOLOTA VERDE"

(Imagem Google)
Crescia a erva verde na terra!
nem o zumbir do vento se ouvia
porque havia silêncio na floresta
quando, de manhã, o sol nascia.

Do caçador agachado no abrigo,
um estrondo, o silêncio quebrou
disparado de uma caçadeira um tiro
aquela, ainda, verde bolota abanou.

O passarinho levado se libertou,
sem penas das garras do gavião
com o tiro disparado se assustou
depenado o deixou cair no chão!
(Eduardo Maria Nunes)

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

"NO TRANSPORTE DO FUTURO"

(Imagem Google)
Bom fim de semana a viajar!
desejo, no transporte do futuro
não sei quando lá irá chegar
de repente deu um pulo
terá visto uma serpente
  escarranchada no burro
iria a moça sorridente?

A bela moça se assustou!
o jerico mostrou os dentes
será que a serpente pensou
apanhar-me nem tentes?

 Divertidas brincadeiras,
se tivessem acontecido
num pomar de macieiras
ela, a maçã teria mordido?

Já não me liga patavina!
 me mandou apanhar favas
 rebolei do cimo duma ravina
 dos pés, perdi as alpercatas?
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

"ESTA FLOR"

(Imagem Google)
Um dia não são dias!
nem um mês serão anos
estão as verdades escondidas 
no esconderijo dos enganos?

As mentiras andam à solta,
voando no vento em liberdade
quem tem medo não se afoita
prefere esconder a verdade!

Não se deve fazer isso,
em defesa do coração
nem o segredo escondido
no mundo terá salvação?

Para a vida não ter fim,
guardem junto do coração
esta flor fui colher no jardim,
não encontrei a equação!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

"NÃO CHORE...SORRIA"

Não chore, sorria!
prove esta caldeirada
tenha em sua vida alegria
 de água ao nascer do dia
 beba uma cocharrada!

Uma açorda na tijala!
favo de mel na colmeia
de palavras ditas à balda
a seguir, uma mão cheia!

Tigela, no Alentejo é tijala,
bordão mais grosso é cacete
sorriso grande gargalhada
leite é lete, azeite é azete!

O pão se chamam casquero!
ao sobrero chamam chaparro
pão mais pequeno é brendero
de cortiça é feto o cocharro.

Dessa manera no Alentejo,
lá se fala sem qualquer vaidade
situado, para lá, a sul do Rio Tejo
 também mora a personalidade.

O alentejano não dorme,
depois do trabalho descansa
assim, também é conforme
o toque da música se dança.

Aprumado com pujança,
com as calças sempre vincadas
brilham as botas quando dança
 de cabedal bem ensebadas!
(Eduardo Maria Nunes)

terça-feira, 16 de setembro de 2014

"AS PENAS"

As penas que voaram com o vento!
foram as da justiça que não se aplicaram
não ficaram as penas no esquecimento
todas aquelas que alguém magoaram.

De um lugar abrigado e quente precisaram,
sem penas, nas palhas o pássaro fez o ninho
nele com os ovos da e na passarinha chocaram
nasceram, filhos da passarinha e do passarinho
passarinhos, com penas nas asas do ninho voaram!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

"UM MINUTO"

video
Na mesa do Excelentíssimo!
Senhor, do convívio, organizador
também estava António Querido
da sua esposa, verdadeiro amor
apenas e só, se fazem favor
num muito vejam o vídeo.
do que perder a vida num minuto
mais vale perder um minuto na vida
todos sejamos felizes neste mundo
com saúde, paz, amor e alegria!
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 13 de setembro de 2014

"NA IDADE DOS TRAPOS"

Voaram os afagos!
longe dos tempos idos
agora na idade dos trapos
com os pés doridos
dos sapatos apertados
 cada vez mais encolhidos.

Será que não percebi,
 o teu poema estive a ler
a imaginar estou aqui
triste por te não ver.

Uma esperança malfadada,
no caminho para o inferno
naquela estrada empoeirada
mais lamacenta no inverno.

Para corações apaixonados,
vale sempre mais do que nada
remendada a penas de farrapos
esta vida toda esfarrapada!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

"TERRA BARRENTA"

(Imagem Google)
De verde planta nascida!
na terra barrenta vi uma flor
numa pedra no barro contida
 dos olhos numa lágrima caída
escrita, li a palavra amor.

Uma nuvem cinzenta,
no céu uma estrela cadente
quando alguém apoquenta
o coração tristeza sente.

 Em botão, rosa perfumada,
 roseira de verdes folhas vestida
 toda a mulher apaixonada
 de carinho e amor precisa.

Transmite ao corpo a vontade,
quando se sente a chama do calor
no desejo do prazer a todo o vapor
se engrena o veio da felicidade!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

"A ABELHA E O ZANGÃO"

A abelha e o zangão!
  qual dela será o merecedor
 tanto ela como ele contra-mão
 em disputa pela mesma flor.

Com o cabresto no focinho!
todos eles presos na carroça
deixem em paz o Zé Povinho
 vão zumbir lá para a barroca.

Quando, como e por onde...
nenhum deles sabe o que quer
um fala, ao contrário responde
como se fosse coisa qualquer!

Nunca farão boa parelha,
porque duas mulas manhosas
com ideias de tudo perigosas
dolorosa picada da abelha!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

"FORTE VENTANIA"

(Imagem da Google)
No despertar de um novo dia!
numa louca tempestade de amor
 fez cair no chão, a forte ventania
  perfumadas as pétalas duma flor.

 De poluição, empoeiradas,
amachucadas, secas e amarelas
a serem, por quem passa, pisadas
o vento levou o perfume delas.

 Enorme inundação de desejos,
 em violento terramoto, inundados,
 numa louca derrocada de beijos
 no calor do vulcão incendiados.

Naquela tão desejada loucura,
a felicidade encontrada na cratera
nos regatos corria límpida, não turva
das nuvens a água caída na terra!
(Eduardo Maria Nunes)

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

"BOM FIM DE SEMANA"

(IMAGEM GOOGLE)
Nesta vida tudo muda?
continuem enamorados
com muito amor e ternura
felizes, amantes, apaixonados
não se percam na noite escura
se forem pernoitar numa cabana
sobre o telhado verde cobertura
desejo-vos bom fim de semana!
(Eduardo Maria Nunes)