quarta-feira, 27 de julho de 2016

"NA PRAIA"

Mote,
Ela despiu o vestido,
quando eu era rapazote
sem tempo ter perdido
a seguir despiu o saiote.

Nos seus olhos li o tema,
olhando, vi beleza nela
eu, escrevi este poema
inspirado no corpo dela.

Até não fiz má figura,
só por isso valeu a pena,
olhando para a belezura
de linda a moça morena.

  Naquele dia lá na praia,
os meus olhos despertaram
de esperança se iluminaram
  ao vê-la despir a mini-saia.

Na areia fui andando,
numa onda tropecei
de biquíni a vi nadando
não sei no que pensei.

Resistindo à tentação,
acalmar a sensação consegui
tinha esperanças mas não vi
  o seu biquíni cair no chão!
(Edumanes)

4 comentários:

  1. Há coisas que levam mais tempo a cair...
    Bela inspiração, donde resultou um magnífico poema.
    Aproveita bem essas ondas de inspiração...
    Um abraço, caro amigo.

    ResponderEliminar
  2. Coitada da magana morena, se a água estava fria, querias que tivesse caído? Esperavas que ela tivesse caído na areia quentinha! e depois...(Conversavam).

    ResponderEliminar
  3. Maravilha, meu caro amigo Eduardo. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa tarde.

    ResponderEliminar
  4. Mas que bela sereia nos trouxeste aqui hoje! Uma belezura mesmo e por causa disso também eu fui à pesca - ou será caça? - de sereias para enfeitar o meu blog.

    ResponderEliminar