segunda-feira, 25 de julho de 2016

"O MELRO PASSARÃO"

Vi no cais, ancorada, uma embarcação,
deixei de ter os pés assentes em terra firme
olhando para o céu azul na capital desta Nação
 nela embarquei com destino a Moçambique!

Disso não estou arrependido,
no Exército Português integrado
fui para lá em missão de serviço
estou contente por ter voltado!

Já ouvi cantar o Melro,
a canção da debandada
iniciada no Túnel do Marão
deixou a obra inacabada
bateu as asas o passarão
deixou a Nação endividada
num buraco a céu aberto!

Se eu soubesse que amanhã morria,
a dois pés para longe fugia da morte
para continuar a escrever em poesia
levava comigo a inspiração e o mote!
(Edumanes)

3 comentários:

  1. Depois da partida fala no ouvido de um bom poeta e ele joga para o papel. Belo o teu poema Edu.

    Abraços,

    Furtado

    ResponderEliminar
  2. Tu do porto e eu do aeroporto partimos ambos e a Moçambique fomos parar. Com sorte voltamos ambos também para estar aqui a trocar estes mimos pela internet, coisa que nesses tempos não havia. O que havia eram balas a zumbir nos nossos ouvidos e minas a rebentar aos nossos pés que, por felicidade, não nos acertaram.

    ResponderEliminar
  3. Tens muito para te queixar tens meu passarão da Java!
    E navegador do Niassa.

    ResponderEliminar