domingo, 31 de janeiro de 2016

"TARDAVA EM CHEGAR"

Na cama deitada, nua!
O sono tardava em chegar,
levantou-se, vestiu o roupão
 foi à janela espreitar
lá fora a claridade da lua.
De repente um clarão
pela janela entrou,
era a louca paixão
sem ter onde pernoitar
fugindo da tempestade!
 Com ela para a cama voltou
 no peito, bem junto do coração
com amor e ternura a abraçou!
 Em silêncio com ela adormeceu,
sem qualquer, outra, preocupação
foi tão bom da forma como aconteceu
  tem guardada no coração a felicidade!
(Edumanes)

sábado, 30 de janeiro de 2016

"PAPOILAS VERMELHAS"

Foi o  Melro Passarão!
à toca visitar a passarinha
deixou cair uma pena no chão
quando lá pousou à noitinha!

Próximo das Ermidas,
verde paisagem no prado
vermelhas papoilas floridas
nas margens do Rio Sado.

Na horta, o guarda na casota,
o rato fugia à frente do gato
inesperadamente, àquela hora
 até foi divertido o espalhafato.

Um fim de semana bem divertido,
esqueça-se tudo o que não se deseja
 mantenha-se à mostra não escondido
tudo o que é bom, para que se veja!
(Edumanes)

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

" CATRAPUS"

Caracol dialogante!
comentador de futebol
bem visto por ser elegante
 mais ainda por ser inteligente
 esteja frio, chova ou faça sol
 dialoga com toda a gente.

Mesmo sendo vagaroso,
longe, ele, consegue chegar
há neste mundo maravilhoso
 quem viva bem sem trabalhar.

Nunca embaraça o sol!
lá por ser tão irrequieto
como é o bicho caracol
pois, nunca pára quieto.

A correr atrás dum lagarto,
foi tropeçar num camaleão
por não ter sido condecorado
pelo tão bom serviço prestado
ficou revoltado e mais refilão!

Em paz, para com a Águia dialogar,
resolveu deslocar-se ao Estádio da Luz,
por causa da pressa é que foi devagar
quando a viu à sua frente catrapus!

O eterno presidente do Dragão,
histórico, não se deixa nunca vergar
só falta dialogar com o senhor pimpão,
para a ronda de diálogos terminar!

Bom serviço está prestando,
 em defesa do limpinho futebol
com os dirigentes dialogando
devagar, sem pressa o caracol!
(Edumanes)

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

"NO CAIS, EM SEGURANÇA"

Vou remar àquele porto!
 para em segurança ancorar o navio
nunca se endireita o que nasce torto
sem farnel, o alforge está vazio.

Sem mágoas no coração,
navegando com esperança
 no cais ancorei a embarcação
 para descansar em segurança!

Nem tão pouco ouvi,
se tocava a concertina
o que procurava não vi
rua abaixo, rua a cima
tenho andado por aí.

Esbarrei na surpresa,
ali ao virar da esquina
alegria, e não tristeza
nos lindos olhos tinha!
(Edumanes)

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

"FUI A MOÇAMBIQUE E VOLTEI"

Fui a Moçambique e voltei!
sem nunca ai nem ui dizer
por vales e montanhas andei
não conhecia fui conhecer.

Na primeira deslocação,
de Vila Cabral para o Cobué
com a espingarda FN na mão
pela Cantina Dias passei
com esperança e fé!

 A seguir Maniamba,
 Nova Coimbra e Rio Lunho
  era naquela zona mais medonha
  Miandica terra do outro mundo
de calor uma tempestade
me queimou a pele da fronha
 não chorei mas tive vontade! 

Em Junho de 1965, acantonei,
com o batalhão em Metangula
uma cana e um anzol arranjei
  no Lago Niassa fui pesca nula. 

Foi nula, porque nada pesquei,
  pensei que o peixe tinha picado
apressadamente a cana puxei
o peixe na água muito admirado
olhou para mim, eu para ele olhei
 disse, vai embora daqui soldado,
fui a Moçambique e voltei!
(Edumanes)

domingo, 24 de janeiro de 2016

"A OUTRA TETA"

A mamar continua o mama,
todo o leite a mamar da teta
pensa-se por não ser forreta
 até mama deitado na cama!

Não amainou a caça aos milhões,
apressado logo descobriu outra teta
porque, o leite duma só não chega
para sustentar tantos comilões!

Sabe-se que causa ciúmes,
amor que atraiçoa corações
também, por outras paixões,
já se ouvem por aí queixumes.
   
Esperam os pobres se quiserem,
tudo, ainda, vai dar muito que falar
porque, o leite que os ricos querem
a casa deles tem mesmo de chegar!

Marcelismo rima com Cavaquismo,
desesperança rima com desconfiança,
desumanidade rima com austeridade,
causa pobreza=pobre rima com fome!
(Edumanes)

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

"DE MADRUGADA"

Para não se esforçar,
a preguiça anda lenta
nada mesmo de admirar
não tem do que se queixar
vida boa não apoquenta.

 Sábado é dia de se reflectir,
para no domingo se poder votar
 para não me enganarem a sorrir,
  ainda não decidi em quem votar.

Por ser um dever cívico,
pois, não deixarei de o fazer
mas, penso que só para receber
não devia haver tanto político!

Com amor se consegue,
consumar o desejo em prazer
para com mais o que apetece
 a felicidade se deve manter.

 Que, não se desperdice,
 nunca, na vida coisa tão boa
não andará atrás dele à toa
 quem sem amor vive triste.

Só quem pensa que nunca acaba,
pode à fartura não dar, muito, valor
 por causa duma aventura precipitada
 de madrugada se perde um amor!
(Edumanes)

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

"NOS LÁBIOS"

Na formatura, um soldado, em posição de sentido, pede licença ao sargento para se deslocar ao posto de socorros...
 O sargento, pergunta ao soldado, qual é o motivo?
O saldado, meu sargento para fazer curativo a um ferimento que tenho nos meus lábios!
O sargento, lábios soldado! Lábios tem o nosso comandante!
Porque, trombas tenho eu e sou sargento!...

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

"EU SEI QUE VOCÊ SABE"?

Eu sei que você sabe! Então; diga lá o que é que é maior do que uma bicicleta e mais pequeno do que uma galinha!...
Não são invenções minhas, porque, eu não invento. Não é o Mosteiro dos Jerónimos nem a Torre de Belém!...
Também não é São Bento, mas andou por lá. Agora já não anda, porque, partiu para o outro mundo já cá não está!...

domingo, 17 de janeiro de 2016

"PERFUME DE FLOR"

Sem nada na imaginação!
subi para cima do rochedo
para ficar mais longe do chão,
 não muito distante do mar
num caminho estreito
estou ficando sem jeito
já não sei como rimar!

  Pensando para não falhar,
 será, pois, melhor ficar quedo
se é que quero viver em sossego
  de política será melhor não falar, 
 sem ciúme, o perfume dessa flor
 na vida, se for feito com amor
tudo será mais perfeito!
De noite ilumina a Lua
de dia ilumina o Sol
ressona a tartaruga
incomoda o caracol
não tenho mesmo jeito
para comentar futebol!
(Edumanes)

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

"FLOR DA URZE"

 Porque, o tempo urge!
nada na minha imaginação
tropecei nas flores da urze
 bati com o traseiro no chão.

O que tem para dizer,
fala para mim baixinho
não ria dessa maneira a gozar
não faça como o passarinho
 que sem penas nas asas ter,
do seu ninho quis voar!

Coisas com e sem cabeça,
 são elas as causas da felicidade
por isso, mesmo, não esmoreça
  se quiser, pode rir à vontade!
(Edumanes)

sábado, 9 de janeiro de 2016

"PACHORRENTA"

Quanto mais e mais aquece!
porquanto, mais entusiasmar
com prazer não se entristece
 de quem na vida bem estar.

Nunca a um desejo tentado,
se deita fora a oportunidade
depois do prazer consumado
não se despraza a felicidade.

No vale na pachorrenta,
nasce água não tem secura
satisfeita não se apoquenta
a felicidade, não se inventa
 junto dela habita a ternura.

O que não, não está certo não,
nunca exima daquilo que gosta,
se for essa a vontade do coração
não aceite não como resposta!
(Edumanes)

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

"FAÇAM FAVOR, SIRVAM-SE"

Ao colesterol, mal não faz!
de quando em vez uma linguiça
 carne temperada metida numa tripa
  não há guerra, onde reina a paz.

Ainda bem que assim é,
se assim não fosse era pior
quem tem esperança e fé
na vida saúde e amor.

Vive uma vida regalada,
se for adepto do Benfica
mas, quando falta a pedalada
 da força que mais não arrebita
porque mais manda a preguiça
na reforma, vive sossegada!
(Edumenes)

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

"NO ESCURO"

No escuro fui caminhando,
quando da esperança me perdi
no caminho uma luz se acendeu
nem de perto, nem de longe vi
 quem de mim se perdeu.
 Andei perdido andei,
a esperança procurava
 onde estaria, imaginando
de quem perdido andava
 de mim, não estava ali.
À saudade perguntei,
 para os seus olhos olhando
  caídas no chão lágrimas vi
esperando por mim estava
em silêncio chorando!
(Edumanes)

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

"NÃO NA REALIDADE"

Ventania, tempestade!
me fechou a porta aberta
em sonho não na realidade
sem o ser, já fui poeta.

Uma forte rajada de vento,
tudo em meu redor fez estremecer
naquele, inesquecível, momento
não sei para onde sem se ver 
se deslocou o meu pensamento.

 Fiquei a sós com a sensação,
de estar abraçando a fantasia
 beijando com carinho e paixão
uns lábios que não conhecia!
(Edumanes)

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

"DISTANTE DA TERRA, ALTO ESTÁ"

Porque a imaginação existe!
pode ser a causa dessa razão
de quem não desiste, persiste
em não se perder na divagação.

Tentei mas não consegui lá chegar,
tão distante da terra, alto está
 de manhã nasce o sol para iluminar
  o que de bom ou de menos bom há.

Porque, ilumina o bem e o mal,
ilumina a guerra e a paz, será
portanto, a luz do sol essencial
para haver o que no mundo há.

Na fazenda ilumina o capataz,
 no campo a trabalhar faz suar o ganhão
corpos nus bronzeia, deitados, é capaz
 na areia da praia, provocar escaldão!

Transmite calor à emoção,
 quanto mais aumenta o prazer
também mais ainda faz aquecer
dentro do peito o coração!
(Edumanes)

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

"NA TOCA DO PASSARINHO"

Nem sempre nas palavras escritas!
as ocorrências serão verdadeiras
mas são as mulheres sempre bonitas
sejam elas casadas ou solteiras.

Quando mais se quisera,
na vida, algo maravilhoso
uma pulga na cueca
põe o sítio em alvoroço.

Por não ser burra,
onde ela foi fazer o ninho
na toca do passarinho
a magana da pulga!
(Edumanes)

domingo, 3 de janeiro de 2016

"CARALHOTAS"

Bom dia, bom domingo
e boa disposição,
muita saúde e alegria
sorriam, porque eu não minto
obrigado pela vossa simpatia.
Até poderia ter sido, 
mas, anedota, não foi não
porque foi verídico,
como eu vou cantar, assim
foi exactamente.
Não foi por engano
fui ali ao continente,
no último dia do, velho, ano.
Na charcutaria 
comprei chouriço de Garvão,
comprei na garrafeira
vinho tinto da Vidigueira,
na padaria comprei pão
dois redondos e um comprido,
são, disse para mim
a padeira sorridente
Caralhotas de Almeirim!
(Edumanes)

sábado, 2 de janeiro de 2016

"DO QUE PARA TRÁS FICOU"

Há coisas que já não dão!
para serem recicladas
como as pétalas perfumadas
já murchas, caídas no chão.

Ano Novo, vida nova,
que não seja mais uma ilusão
 fazem parte da vida enganosa
mágoas deixadas no coração!

lágrimas caídas no escuro,
 dos olhos, na terra quem as deixou
esperamos que nos traga o futuro
melhor do que para trás ficou!
(Edumanes)