sábado, 22 de março de 2014

"BANDARRA, PROFETA SAPATEIRO"

NÃO PORTUGUÊS, MAS PORTUGAL - DISSE FERNANDO PESSOA.

QUANDO TUDO ACONTECEU...

Em torno de 1500 nasce em Trancoso. - 1530 a 1540:  Compõe suas trovas. - 1541: Julgado pelo Tribunal do Santo Ofício, condenado com uma pena leve. Retorna a Trancoso onde vem a falecer em 1556. - 1603: As trovas do Bandarra são impressas pela primeira vez, em Paris, por obra de D. João de Castro (Paráfrase e Concordância de Algumas Profecias de Bandarra, Sapateiro de Trancoso). - 1644: As trovas são publicadas por segunda vez, em Nantes. - 1809: As trovas são reeditadas em Barcelona, por ocasião das Invasões Francesas.
Sonhava, anónimo e disperso,
O Império por Deus mesmo visto,
Confuso como o Universo
E plebeu como Jesus Cristo.
Não foi nem santo nem herói,
Mas Deus sagrou com Seu sinal
Este, cujo coração foi
Não português, mas Portugal.

Fernando Pessoa, sobre o Bandarra

Desta figura, Fernando Pessoa chegou a afiançar: "O verdadeiro patrono do nosso País é esse sapateiro Bandarra. Abandonemos Fátima por Trancoso (...). O Futuro de Portugal − que não calculo mas sei − está escrito já, para quem saiba lê-lo, nas trovas do Bandarra (...). O Bandarra, símbolo eterno do que o povo pensa de Portugal".

De tão evidente, o seguinte verso do Bandarra poderá ter sido um dos seus derradeiros auspícios, cumprido e perpetuado que se encontra:

Em dois sítios me achareis, 
Por desgraça ou por ventura: 
Os ossos na sepultura,
A alma nestes papéis.

Melhor do que eu, que nem a taluda sei profetizar, Bandarra sabia o que predizia. Grande profeta ou não, em uma das suas coplas parece confirmar a continuidade do pretérito português:

Sou sapateiro, mas nobre 
Com bem pouco cabedal: 
E tu, triste Portugal,
Quanto mais rico, mais pobre.

De profeta, nada tenho. Quanto a saber do destino da muito querida Pátria, basta-me o aforismo: mais vale um bom desengano, que toda a vida andar enganado. ■
Eduardo disse;
Ambição, não é loucura!
Para viver melhor pudera
Gastar muito porventura
Portugal, assim quisera!

Pobre, pensando ser rico!
Já naquele tempo acontecia
Bandarra, viveu na Monarquia
profeta, sapateiro de ofício!

5 comentários:

  1. Onde raio foste desencantar isto?
    Nunca tinha ouvido falar do Bandarra.
    Além de poeta, grande filósofo me saiu ele!

    ResponderEliminar
  2. Concordo com essa frase de que "mais vale um bom desengano que toda a vida andar enganado". É verdade em relação a tudo.
    O Bandarra é realmente muito pouco conhecido.

    ResponderEliminar
  3. Sou sapateiro, mas nobre
    Com bem pouco cabedal:
    E tu, triste Portugal,
    Quanto mais rico, mais pobre.

    Lindo e profundo! Pelo visto, o Bandarra deixou uma grande lacuna.Muito bom!

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderEliminar
  4. Desde menina oiço falar no Bandarra mas não conheço as suas profecias.
    Uma falha que vou tentar corrigir.
    Um abraço e bom Domingo

    ResponderEliminar
  5. Oi Eduardo
    O Bandarra um profeta? ou uma pessoa de visão que soube antever com precisão o que iria advir no futuro ao seu amado Portugal.
    A tua interação ao texto como sempre perfeita. Parabéns meu amigo
    Beijos com carinho e uma linda semana.

    ResponderEliminar