quarta-feira, 20 de junho de 2018

"DO ÚLTIMO ANDAR"

Dois alentejanos, o Zacarias e o Pacheco, do Baixo Alentejo, viajaram de comboio desde Torre vã, com destino à estação ferroviária da cidade do Barreiro, junto ao Rio Tejo. Onde tencionavam passar alguns dias de férias. No segundo dia da sua permanência na referida localidade. Juntos caminhavam por uma das inúmeras avenidas. Na qual avistaram um prédio muito alto como nunca tinham visto no Baixo Alentejo. O Zacarias olhou para o referido prédio e disse para o seu amigo Pacheco.  Quando eu era pequeno caí lá do último andar daquele prédio! Logo, de seguida, o Pacheco perguntou.  Atão nã morreste? Nã sei disse o Zacarias, há tanto tempo já nã me lembro!!! 

sábado, 16 de junho de 2018

"ATRÁS DA PORTA"

O pai para o filho! Ó! Maneli acorda. O filho responde. Está pendurada atrás da porta!
Não é essa corda Maneli. Estou dizendo para  acordares!
Para o que é que é pai?  É para ires dar palha à mula. Ainda estou dormindo!
No dia seguinte, o pai ó! Maneli estás dormindo ou estás acordado?
O Maneli pergunta! Para o que é que é pai? É para vires comer a açorda. Estou acordado!

quinta-feira, 14 de junho de 2018

"ATRÁS DA SEBE"

De sachola ao ombro, um alentejano ia caminhando na vereda habitual quando, a certa altura, ouviu uns murmúrios e risinhos, vindos de trás de uma sebe. Curioso, espreitou com muito cuidado e, então, viu um casal muito agarradinho, ele já de certa idade, ela, uma bela moçoila trigueira. Não sendo desmancha prazeres, o mirone recuou e seguiu o seu  caminho.
Duas horas depois, já de regresso a casa ao passar pelo mesmo sítio, apercebeu-se que a ”brincadeira” ainda continuava. 
Admirado, debruça-se na sebe e pergunta:
- Antão compadri, inda dura?!

Responde o outro:
-Nã sinhori… inda móli!

segunda-feira, 11 de junho de 2018

"NASCER DO SOL"

Hoje nada me ocorre,
para no blogue escrever
quem não tem fome,
não tem vontade de comer.
Podia ser este o mote
para escrever um poema,
não sei se há dias de sorte
mas, seja lá como for,
viver vale sempre a pena
com saúde, paz e amor!
Adormeçam com a felicidade,
acordem a sorrir com a alegria
 a mais um dia dando continuidade
com a luz do Sol que nos alumia!
(Edumanes)

domingo, 10 de junho de 2018

ÀQUELA HORA"

No dia que fui a Garvão,
passei por Santa Luzia
voltei sem nada na mão
esqueci-me lá da demasia
que seria de meio tostão?

Vi uma moça trigueira,
com um cocharro na mão
a cantarinha no quadril
lá na estação da Funcheira,
 pregou-me um grande sermão
não foi, mesmo, nada gentil!

A seguir subi um eucalipto,
para ver se via a rosa à janela
estou, de todo, convencido
de que é a flor mais bela!

Na sua, dela, rua passei,
quando do eucalipto desci
o que é feito dela não sei
àquela hora já lá a não vi?
(Edumanes?

sábado, 9 de junho de 2018

"NUVENS CINZENTAS"

De manhã, céu nublado,
aqui começou o dia chuvoso
mês de Junho envergonhado
de nuvens cinzentas no céu
não de modo carinhoso
caíram gotas de água 
na copa do meu chapéu.

Neste momento e, agora,
no céu azul o sol brilhar
as nuvens foram embora
não sei quando irão voltar?

Na véspera do dia de Portugal,
outrora de Camões e, da raça
era assim que se chamava afinal
no tempo de Salazar sem graça!

Com esmera modernice,
sendo agora comemorado
sem pôr cobro à trafulhice
neste Portugal endividado!
(Edumanes)

sexta-feira, 8 de junho de 2018

" VI COM OS MEUS OLHOS"

Unimog ser abalroado,
por uma mina na picada
ficou todo escavacado
junto ao Lago Niassa!

Em busca da inspiração,
para escrever um poema
encontrei lá a imaginação
sem mais nada valeu a pena.

A navegar numa embarcação,
de grandes dimensões no Rio Mira
vi ser abalroada por um tubarão
só quem quiser, é que acredita!

De que ela existe acredito,
de repteis essa perigosa raça
desses peixes no Lago Niassa
não vi jacaré nem crocodilo!

Quando no passado lá estive,
mais de seis meses acantonado
outrora tão perigosa como triste
 foi na guerra a vida do soldado!
(Edumanes)

quinta-feira, 7 de junho de 2018

"ROMÃZEIRA"

Se tu gostas de mim,
agora, diz-me lá atão
ê vi-te lá no jardim
com uma flor na mão!

Ê gosto muto de ti,
só te digo amanhã
no outro dia ê te vi
apanhar uma romã!

Cantando uma cantiga,
com a tua pele trigueira
do calor do sol protegida
à sombra da romãzeira!

Nã vestiste as calças,
 fizeste um arranhão 
duma perna sangravas
sentias dor no coração!

  Fui correndo para ti,
 acariciar a tua perna
 os teus olhos lindos vi
 gostei deles pudera!
(Edumanes)

terça-feira, 5 de junho de 2018

"PROTESTOS CONTRA O FURO"

Sem pisar a bunica,
com a sua marrafa
simpática rapariga
a sorrir protestava!

Aqui na país das maravilhas,
em Aljezur protestam contra o furo
os professores fazem greve
os enfermeiros também,
alegando que estão escalfados
para tratar de quem saúde não tem.
Os ferroviários querem mais segurança
para, livremente,  na linha circular
mas o governo da geringonça,
não estará como devia a colaborar?
Todos tem direito a reclamar
a sua voz seja ou não seja ouvida
neste país o que mais estará a atrapalhar
serão as leis da enfadonha política?

domingo, 3 de junho de 2018

"BEM ME QUER, MAL ME QUER"

O Florival e a sua mulher,
apaixonados pela vida
 desfolhando um malmequer
 lá na herdade da Formiga!

Ele montava uma bela égua,
 ela montava um robusto cavalo
o Florival sempre de olho nela
ladeira a cima ladeira abaixo!

De desgosto tanto sofreu,
nunca mais para ele voltou
sua mulher desapareceu 
naquele dia de manhã cedo
quando Florival acordou
não viu cavalo nem cabresto!
(Edumanes)

sábado, 2 de junho de 2018

"SÍMBOLO DA LIBERDADE"

Se a cor verde é esperança,
vermelho a cor da liberdade
quem deseja sempre alcança
não corresponde à realidade!

Posso pensar, não é proibido,
sem ofender, dizer o que quero
nos políticos, não acredito
nem de longe nem de perto.

Não sendo minha intenção,
mal dizer de quem rouba
depois da justiça ler o sermão
em liberdade saem porta fora.

Seja ou não seja em liberdade,
tem de se respeitar a constituição
sendo preciso ter manha e arte
para se ser um bom ladrão!

Aos ziguezagues a caminhar,
 ainda sei de onde é que venho
nenhuma dessas qualidades tenho
 nem pretendo a elas me associar!
(Edumanes)

sexta-feira, 1 de junho de 2018

"CAIXA DE PEDRAS"

Conversando ao telemovel com o meu amigo dos Foros da Pouca Sorte. Tá lá, tô sim, quem tá fando daí? Atã nã tás vendo que sô eu! Tá bem agora já tô vendo.  O que é que tu queres, quero saber se já mandaste a caixa de pedras, para atirar com a fisga, que te encomendi no outro dia. Tô precisando delas para ir à caça dos melros!
Tá bem, nã tô esquecido, vô mandar hoje pelo correio com aviso de recepção. Quando receberes a encomenda conta as pedras, se faltar alguma avisa. Nã apresentes quexa contra os correios por que nâ adianta. Odepois mando outra pedra para o lugar da pedra gamada.  Nã precisas de pagar já, pagas odepois, tá bém!
Atã tu inda tens a mula da tua mulher ou já a venteste? Nã vendi nada, tá grande e já nã mama! E aquela ovelha toda preta com a ponta do rabo branco já pariu? Nã pariu nada. O carneiro já a montou  vamos ver se é desta vez que ela em prenhe!
Adeus amigo nã te empato mais. Até ao próximo telefonema se a gente nã falar antes.
Bom Santo Antoino e São João tã bem, nã te esqueças de São Pedro dia vinte nove. Cumprimentos família!!!

quinta-feira, 31 de maio de 2018

"NÃO APALPAR"

Com os pés no chão,
não queira ser gula
veja mas não mexa
não apalpe a fruta!
Toda a gente se queixa
tenha ou não tenha razão
aqui no país das cerejas.
Não seja mas é mandrião
coce nas suas orelhas
se nelas tiver comichão?
Por onde pode passar
 veja sem levar encontrão
agora o que mais está a dar
em liberdade é a corrupção.
  Sendo essa triste realidade
 na qual a justiça não tem mão,
por ser mais forte a ilegalidade
 os pobres vão para a prisão
os ricos compram a liberdade.
Não precisam fazer birra, 
para desviarem milhões
considerados não ladrões
são absolvidos pela justiça!
(Edumanes)

quarta-feira, 30 de maio de 2018

"AMOR AUSENTE"

Doloroso é o sofrimento,
quem no coração o sente
por aí perdido no tempo
 não fiques amor ausente!

Por onde andas amor,
não te enganes no caminho
vem, se fizer muito calor
pela sombra devagarinho.

 Chegares mais depressa,
 abraçado com carinho
serás por quem te espera
 com uma rosa na mão
  para te colocar com jeitinho 
 no peito junto ao coração!
(Edumanes)

terça-feira, 29 de maio de 2018

"POMBA BRANCA"

 Cor de esperança,
raminho verde traz
no bico pomba branca
anunciando a paz!

Verdes são as ervilhas,
 insuportáveis os caprichos
onde tudo não é maravilhoso
aqui no país das maravilhas
para sustentar os ricos
quem Trabalha é o povo!

Nesta Nação Portuguesa,
se o povo não trabalhasse
aqui na terra não havia clareza
se o sol fosse e não voltasse
o que seria feito da riqueza?

Sem se quer bulir uma palha,
com tudo, vive confortavelmente
 melhor vida para o povo atrapalha
o qual neste pais humildemente
para que haja riqueza trabalha!
(Edumanes)

segunda-feira, 28 de maio de 2018

"CIUME"

Aquele amor ciumento,
que se amua quando calha
dele, não consegue o vento
 separar o doloroso tormento
  como do trigo separa a palha!

Não o queira em sua vida,
porque, ele só lhe faz mal
será o ciume uma birra,
ou descontrolo emocional?

O ciume sem fim à vista,
não evita, mais agrava
vive com ele toda a vida
 quem dele não se separa!
(Edumanes)

domingo, 27 de maio de 2018

"CORAÇÕES"

Porque, hoje é domingo,
véspera de segunda-feira
nunca nem silêncio minto
será a justiça verdadeira?
Quem num supermercado
 com fome da prateleira
para comer tira um pão,
 acto pela justiça condenado.
Mas para a sua conta bancária
 quem desvia mais  de um milhão 
para bem gozar a sua vida
sem qualquer justificação
 mesmo não sendo declarada,
 mas, que a justiça seja cega,
 não acredito na totalidade?
Manda os pobres para a cela
aos ricos vende a liberdade.
Não sendo minha intenção,
acusar quem quer que seja
deste pais sou cumpridor cidadão
alérgico a todo o tipo de brotoeja!
Aguardo desde já em liberdade 
 as vossas sinceras opiniões
de acordo com a sensibilidade
dos vossos bem amados corações!
(Edumanes)

sábado, 26 de maio de 2018

"NO POLEIRO"

Todos aqueles que contam com o ovo,
antes de ser libertado pelo cu da galinha
 quem diz que quem mais ordena é o povo
 ainda acredita no conto da carochinha!

Como antes não ordenou,
agora também não ordena
por tudo aquilo que lutou 
quase de nada valeu a pena!

 Dos olhos de quem chora,
caem lágrima de amargura
algo diferente está agora
desde o tempo da ditadura!

O caroço é quem manda,
tudo no mundo faz girar
como diz o povo a cantar
as moças já não vão à manda
nem, mais, à ribeira lavar!

 Do avesso está virado,
este mundo do aventureiro
os que mais cantam de galo
são os mafiosos no poleiro!
(Edumanes)

sexta-feira, 25 de maio de 2018

"NA AREIA"

O que penso não digo,
na areia um caranguejo
fez tamanho alarido
imagino o que não vejo.

Sem direitos adquiridos,
reclamar bem pode o povo
os pobres não são ouvidos
este mundo é um colosso.

Sem ter fundo definido,
maior do que um tremoço
que o seja, até, acredito
redondo como um poço.

Viver bem vale a pena,
na minha imaginação
pelo mundo dispersos
sem saber onde estão
para escrever um poema
não encontrei os versos!
(Edumanes)

quinta-feira, 24 de maio de 2018

""BRANCAS E AMARELAS"

Quem da chuva não gosta,
em busca do carcanhol
porquanto,  está de volta
as nuvens escondem o Sol.

Já a menos de um mês do fim,
de mais uma das muitas primaveras
 cravos, rosas e outras flores no jardim
 no campo margaridas são mais belas
 com elas nasci, cresci e fui criado sim
 lindas, elas, são brancas e amarelas!
(Edumanes)

terça-feira, 22 de maio de 2018

"A SAÚDE É UM DIREITO DE TODOS"

Em Portugal é o mal feitor,
cuja a liberdade mais beneficia
não se piava como agora se pia
no governo de Salazar, o ditador
Serviço Nacional de Saúde, não havia
morreu António Arnaut, o seu criador
um dos fundadores da democracia!

 Que a terra lhe seja leve,
se for para debaixo do chão
o mundo feito à sua afeição,
cada um com o que merece!

Dos outros a muita desgraça,
nunca a terão sentido no coração
 os que vivem com tudo nada lhes falta
seja ele ditador ou seja ela democrata
todos deste mundo para o outro vão!
(Edumanes)

domingo, 20 de maio de 2018

QUEM SABE?

Prantei uma pedra, 
em cima dum banco
dormi uma soneca
porque tinha sono.

Uma coisa estranha,
ainda não tinha visto
em forma de gadanha
aquilo que vi odepois
porque, eu não duvido
 de que três não são dois.  

Tristes figuras,
não têm boa fama
ontem à noite dei duas
sem sair do lugar
voltas na cama
estava a sonhar.

Com um fenómeno natural, 
há coisas levadas da breca
com a seguinte, para terminar
pergunta de cultura geral.
Quem souber diga lá
para nela se pegar
de que lado, ela, está
a alça dessa caneca?
(Edumanes)

sábado, 19 de maio de 2018

"NA PRAIA"

Não precisa de imaginar a beleza,
quem os seus olhos a podem ver ao vivo
 à beira do mar, nesta Nação Portuguesa
um dos mais seguros portos de abrigo.

Quanto mais quente o sol brilha,
de alegria faz sorrir muita gente
feliz vive neste mundo, maravilha
 quem ama, no coração, amor sente.

Não sabe estrela, luzente, no céu,
quanto aqui na terra a estão adorando
  com o seu belo corpo quase todo ao léu
 na praia, para aquela garota olhando!
(Edumanes)

Para todas, amigas e amigos, seguidores e comentadores deste blogue, desejo bom fim de semana.

quarta-feira, 16 de maio de 2018

"ONDE COMEÇOU A BRONCA"

O que antes tinha já não tenho,
agora o que tenho antes não tinha
com a vida bem eu me entendo
porquanto, cá ando com ela ainda.

Na Madeira foi derrotado,
ao bater na água fez ricochete
atirou uma pedra no charco
foi cair em Alcochete!

Aquele dirigente tresloucado,
 que alguém instalou em Alvalade
enquanto de lá não for afastado
no Sporting, não haverá tranquilidade.

De positivo nada fizera,
para manter a união
quem muito fala pouco acerta
  quem o diz tem razão!
(Edumanes)

domingo, 13 de maio de 2018

"VERDES AZEITONAS"

"Verde foi meu nascimento.
mas de luto me vesti
para dar a luz ao mundo
mil tormentos padeci"

Maduras gosto das maganas,
verdes, elas,  não se comem
também precisa de azeitonas
só se pão não vive o homem!

Numa noite de primavera,
a Lisboa conseguiu chegar
em silêncio e máxima cautela
saiu de Santarém sem avisar!

Mais vale tarde do que nunca,
em defesa da mui Nobre Nação
por justa causa sem dúvida alguma
do seu lado o povo tinha a razão!

Povo humilde tem cuidado,
Com suas ideias retrógadas,
bem arraigadas ao passado
andam por aí figuras tortas!

Elas continuam ansiosas,
para a ver sair daqui porta fora
por não gostarem dela assim
afiada querem a tesoura da poda
para podar os cravos e as rosas
e outras flores deste jardim!

Agindo com humildade, 
o povo é quem mais ordena
sejas bem vinda liberdade
esperar por ti valeu a pena!

Mas, em Portugal, presentemente,
quase nada ou nada está ordenando
porquanto, que, à canta de rica gente
gente rica bem na vida está gozando!
(Edumanes)

sábado, 12 de maio de 2018

"VIAGEM DE TRABALHO AO MINHO"

Portugal ao mar encostado,
estou aqui imaginando
 de que foi bem planeado
 tanto no Sul plano
como no Norte ondulado.

Não vi lá os sobreiros,
nas margens do Rio Douro
cobertas as vi de vinhedos
aquele rio é um tesouro.

Bem podia este ser mote,
se eu o tivesse escolhido
passei de sul para norte 
da veracidade não duvido.

 O Rio Douro para o outro lado,
não sei se ouviu quem antes lá esteve
depois, ou na época dos marmelos
de Matosinhos para Vila Verde
pernoitei em Barcelos
mas, não ouvi cantar o galo.

Um prato atafulhado de rojões,
chovia a estrada estava molhada
 a sós falando com os meus botões
almocei nos arredores de Braga.

Não me fez companhia,
esteve ausente o Alvarinho
logo a seguir ao repasto
conduzindo e falando sozinho
deslizando estrada abaixo
depois de passar pela Invicta
de onde no dia anterior tinha saído
ciente, cheguei ao fim do dia
com o dever cumprido!
(Edumanes)

sexta-feira, 11 de maio de 2018

"MANERA ALENTEJANA"

Amori andê por ai nã sê,
calhando adonde andi
como sem saber para quê 
fui à urbe comprar um anzoli
vi lá o compadri Maneli
anstaiçado à cata da mulher
com a pinta chê d'arroz
tá buzio brezuntando o nariz
com os bêços embabosados
da manera que o destino quis
bebi cafei, na camineta monti
esqueci lá dos teus sapatos?
Mas olha para ti mê amori
dessa rosa nã esqueci!
(Edumanes)

segunda-feira, 7 de maio de 2018

"IMAGEM VERDADEIRA"

Se recordar é viver,
aqui estou eu recordando
jamais poderei esquecer
de que sou alentejano!

Não sendo contra os minhotos,
cá em casa tenho um galo de Barcelos
outrora, nos pés calcei sapatos rotos
 agora novos tenho um par de chinelos.

 Tilintaram as garrafas e os copos vazios,
não se ouviram tocar os sinos no campanário
num almoço, acompanhado dos meus amigos
no dia do meu Vigésimo Sétimo aniversário!

Da Metrópole estive longe,
outrora, sete anos em Angola
dos quais permaneci um ano
no caminho para Malanje,
do qual jamais me esquecerei
 com saudades recordo ainda agora
aquele bom tempo que lá passei
a seis quilómetros do Luando
 no aldeamento do Muiei!

Não faltava, mesmo, nada
de tudo o que lá havia,
não havia electricidade
nem água canalizada
mas havia felicidade!

Como num paraíso encantado,
 a seguir a um curto interregno
 depois de uma viagem ao passado
à blogosfera estou de regresso!

Sou oriundo do povo,
venho sem nada na mão
para festejar convosco
a vitória do Dragão!

Toda a culpa foi da muita facilidade,
pelo Benfica, no Estádio da Luz, cedida ao Tondela
a Águia voando abaixa altitude perdeu a velocidade
nesta de branco e azul florida primavera.

Seguido do empurrão,
deu-se o inevitável despiste
qual deles o mais impostor
 os parabéns ter dado, disse
o responsável domador do leão
ao seu grande amigo vencedor
ilustre treinador do Dragão!

 Pelo titulo de campeão,
não admira que emocionado esteja
bem sentado no sofá, ao serão
o qual lhe foi dado de bandeja!

A taça será bem entregue,
por não haver nenhuma dúvida
 nas mãos de quem a merece
a primeira poderá ser a última?

As flores estão murchando,
no fim de mais uma primavera
enquanto os anos vão passando
continua bojardas da boca libertando
cada dia que se passas mais careca
o presidente pintão está ficando!

Presidente pintão há só um,
de alegria gritam os esfaimados
está sendo uma grande cagança
a festa na Avenida dos Aliados
depois de quatro anos de jejum
naquela noite a ceia foi sopaedança!

Sem amor nenhum,
a vida tem menos valor
não sou adepto de nenhum
aplausos ao conquistador!
(Edumanes)

segunda-feira, 16 de abril de 2018

"A BERTA À PORTA ESPERA"

Duvido da sinceridade de Sofia,
essa tal vendedora de publicidade
não simpatizo, mesmo nada, com ela.
Pura como a luz do sol que nos alumia
com a sua não duvidosa simplicidade
 eu confio é na lealdade de Berta!

A Berta espera à porta,
não se cansa de esperar
abro eu a porta a Berta
para a Berta poder entrar,
se a Berta bater à porta
amanhã não vou cá estar
para abrir a porta à Berta!
(Edumanes)

sexta-feira, 13 de abril de 2018

"À BEIRA DO MAR"


Foi nessa verde paisagem,
que um dia encontrei o mote
entre uma e a outra margem
no rio para o mar água corre!

Vi borboletas a voar,
sobre a paisagem florida
 no céu, vi o sol a brilhar
como se fosse agora,
 vi uma onda enfurecida
 embater contra uma rocha
sentado à beira do mar!

Na praia, sem roupa,
da água sair despida
na areia vi uma garota.

Cantava o rouxinol,
uma gaivota voava, voava
quando eu para ela olhava
uma nuvem tapou o sol

A sorrir, não triste, voltei para casa a cantar,
com os bolsos cheios, de esperança, não vazios
nas ondas do mar à deriva, não vi barcos a navegar
 fiquei em terra a ver passar comboios não navios!
(Edumanes)

quinta-feira, 12 de abril de 2018

"PENICO DE ESMALTE"

Repleto de luxo e misérias,
neste mundo em que ando
corre o sangue nas artérias
enquanto durmo e sonho!

 Dizem os governantes com altivez,
 governar para o bem estar do povo
 os que morrem não nascem outra vez
  aos vivos não causam mais estorvo!

 Os pobres são a tábua de salvação,
pelos governantes tratados como lixo
sendo alguns não só mesmo por aversão
que teimam mijar para fora do penico!

Quando sopra, forte, em liberdade,
falta se fosse no campo o penico não fazia
lá onde se poderá sempre mijar à vontade
até o vento no mijo soprando assobia!
(Edumanes)

quarta-feira, 11 de abril de 2018

"A ESSA SEMPRE DIREI NÃO"

Nunca mais me afastei da esperança,
desde o dia em que chorei com a saudade
sempre tenho dito e direi, abaixo a ganância
  visto que por ela não sinto nem sentirei afeição
a qual não sente dificuldades, actua sem lealdade
como quem não sente as batidas do coração
livremente, vagueia no seio da humanidade!

 Porque, sei não ignoro a realidade,
um dia lá para onde contrariado, irei
por cá, a evoluir, continuará a saudade
sei que dela para sempre me separarei
embora seja contra a minha vontade!

 Para jamais se deixar enfraquecer,
por bem conquistou a jovialidade
para mais tempo jovem se manter
sempre mais, mais e mais fortalecer
os alicerces do amor e da felicidade!
(Edumanes)

segunda-feira, 9 de abril de 2018

"LAURENTINA"

Não basta só o tempero,
são precisos outros ingredientes
para se poder trincar um pêro
 os dentes têm de ser resistentes
 a vida é bela sem desespero!

Não por desavença alguma,
dos meus, dentes, distantes 
em Angola ficaram dois
já não é como era dantes
porque, a seguir a uma
não recusava a outra depois.

 Bem eu dela ainda me estou lembrando,
no quartel em Vila Cabral havia uma cantina
por não ser aquilo que alguns estarão pensando
vejam a posição daquela, tombada, laurentina
  a qual nos alegrava,  não estou aldrabando!
(Edumanes)

quarta-feira, 4 de abril de 2018

"RELÓGIO DE PAREDE"

Duas raparigas de Valpaços, em viagem de férias pelo pais...
Almoçaram no Redondo, merendaram em Santa Margarida do Sado;
Depois do jantar em Ervidel, a ceia em Santa Vitória...
Seguiram para Canhestros, onde chegaram depois da meia noite, para pernoitar!
As quais a uma pensão se dirigiram e, perguntaram ao recepcionista da mesma, se para as duas havia um quarto?
Tendo o mesmo, com um sorriso nos lábios e apontando com o dedo indicador da sua mão direita, dito!  
A resposta está naquele relógio de parede...
Que horas eram?

segunda-feira, 2 de abril de 2018

"EM ABRIL ÁGUAS MIL"

Sexta-feira foi dia Santa,
No Sábado foi dia de descanso
Domingo de Páscoa foi dia de Graça
Segunda-feira a chuva está voltando
 a esta terra abençoada!
(Edumanes)

sexta-feira, 30 de março de 2018

"ALENTEJANO PREVENIDO"


Um alentejano, numa visita a Lisboa, entrou num café e pediu uma cerveja em lata. O empregado entregou-lhe a cerveja e qual não foi a sua surpresa quando viu o alentejano sacar de uma abre-latas do bolso e começar a abrir a cerveja.

- O que estás a fazer?! – resmungou inconformado. – Você não sabe para que serve essa argolinha em cima da lata? E diz o alentejano:
- Ora pois, mas claro que sei! É para aqueles que se esquecem de trazer o abre-latas…

quarta-feira, 28 de março de 2018

"PROTEJA-SE"

Depois da Gisela e do Hugo,
agora é a vez de Irene
com ela traz quase de tudo
vento forte chuva e neve.

 Entre a Espanha e o mar entalado,
do que Portugal não há melhor pais
sem o meter onde não é chamado
quem não quiser sentir frio no nariz
que o mantenha bem agasalhado.

Se no Algarve faz calor,
na serra da estrela cai neve
quem no coração não sente amor
vive mais triste do que alegre!
(Edumanes)

terça-feira, 27 de março de 2018

"EU VI"

Sentidas no coração,
estive junto do Rio Tejo
na foz do Rio Trancão
vi gaivotas a voar.
Na ponte Vasco da Gama
vi automóveis a circular 
de uma para a outra banda,
no rio um veleiro a navegar.
Não vi as ovelhas no brejo
nem o pastor encostado ao cajado
 mas, vi com saudades do Alentejo
Alcochete lá do outro lado!
(Edumanes)

domingo, 25 de março de 2018

"O GALO EMIGRANTE"

Gordo esse galo foi embora,
sem das galinhas se ter despedido
tão magro está voltando só agora
o que por lá lhe terá acontecido?

Como dantes no poleiro,
não se tem ouvido cantar
de manhã no galinheiro
galava as galinhas ao acordar!

Por força da austeridade
no poleiro deixou de cantar
embora foi contra a vontade
 para sobreviver teve de emigrar!
(Edumanes)

sábado, 24 de março de 2018

"BOM FIM DE SEMANA"

A Gisela, até, foi meiga,
o Hugo não tem sido arisco
sem ainda ter feito barulheira
terá sido mais o alarmismo?

Não queremos tempestades,
nem sempre assim tem sido
para banir as desigualdades
por todos o bolo seja dividido!

Aqui no Concelho de Vila Franca de Xira,
porquanto, o Hugo ainda não se fez sentir
mais propriamente na Póvoa de Santa Iria
ninguém pense que estou, aqui, a mentir
umas vezes chove outras vezes o sol brilha!

Já estamos na primavera,
até podia a temperatura,
do que é, ser mais amena
como feliz numa aventura
se sentirá essa moça morena?
(Edumanes)

sexta-feira, 23 de março de 2018

"A IMAGEM NÃO ENGANA"

O mundo é um engano,
eu aqui tenho pachorra
não tenho é pão alentejano
para fazer uma açorda!

"Lazera",  é sujidade, 
acumulada no corpo
trabalhar sem vontade
sacrifício doloroso!

 Caídas no chão,
do rosto gotas de suor
em dias de calor
sentidas no coração
são pedaços de dor!

Numa cabeça careca,
piolho desprotegido
como na guerra,
soldado sem abrigo
fora da caserna
sua vida corre perigo!
(Edumanes)

terça-feira, 20 de março de 2018

"GAITISTA"

Presentemente, há dias para tudo,
Hoje é dia Internacional da Felicidade
uma boa febra, grelhada, não recuso
quando para a comer tenho vontade!

Nos olhos daquela gaiata,
brilha a luz da sinceridade
com os lábios naquela gaita
tocando o hino da felicidade!

Em noites de loucura,
feliz, nada a incomoda
tocando aquela gaita delira
até ao romper da bela aurora,
não sendo descabida aventura
porque a vida é para ser vivida
com amor e ternura!
(Edumanes)

segunda-feira, 19 de março de 2018

"NÃO HÁ FILHO SEM PAI"

Sou filho pai e avô,
contente com tudo isso
porquanto, ainda, cá tô
de nenhum esquecido!

 Não é descabida aventura,
ingrata sentida no coração
gerado com amor e ternura
filho de verdadeira paixão!

Esperando pela primavera,
na roseira para desabrochar
uma rosa com o perfume dela
belo corpo de mulher perfumar!

Não sou contra o inverno,
mais gosto da primavera
Deus nos livre do inferno
nunca boa gente o quisera!

Vividas com emoção,
sejam todas as vontades
alegres tardes de verão
delas tenho saudades!
(Edumanes)

sábado, 17 de março de 2018

"JUNTO À JANELA"

Não é por eu cantar,
que a vida alegre me corre
eu canto para não chorar
sem me queixar da sorte!

 Cedo e cansado me levantei da cama,
para descansar no banco não me sentei
não sei por onde é que a preguiça anda
ainda hoje, em nenhum lado a encontrei!

Dizem que os alentejanos são preguiçosos,
ainda bem que eu sou do Distrito de Beja
sem dores de cotovelo eles são é corajosos
enfrentam o trabalho sem dele terem inveja!

 O que eu vi, alegremente, digo,
no caminho de Beja para Évora,
 Cuba, Vidigueira, Portel e Monte do Trigo
 em São Mansos duas rosas à janela!
(Edumanes)

quinta-feira, 15 de março de 2018

"A PONTE E O CRISTO REI"

Dizem os responsáveis pelas infraestruturas,
a ferrovia está em mau estado de conservação
também dizem que algumas pontes têm fissuras
 com urgência uns dizem precisam de manutenção
enquanto que outros dizem que estão seguras
alguém sabe dizer quais são os que têm razão?

Fazem delirar nas noites escuras,
em qualquer lugar a tempo inteiro
em segundo plano estão as fissuras
porque as rachas estão primeiro!

Para quem antes nada tinha,
nunca a vida esteve tão boa
venha lá mais uma pinguinha
porque, a idade não perdoa!
(Edumanes)

quarta-feira, 14 de março de 2018

"SERENO SORRISO NOS LÁBIOS DELA"

A beleza que tem no corpo dela,
mostrando lá está ela quase nua
sem terem de ofenderem a Gisela
protejam-se do vento e da chuva!

Por aqui está passando,
quase em silêncio a Gisela
sem nos estar incomodando
neste mundo a vida bela!

Por isso é que está um rico dia,
das nuvens caindo água na terra
São Pedro lá de cima nos envia
água para verde nascer a erva!

Nunca se esquece de bem fazer,
a quem contra ele não estrebucha
 se quem pequeno nasce não crescer
toda a sua vida será cambuta!
(Edumanes)

segunda-feira, 12 de março de 2018

"COMPUTADOR"

Nos tempos que já lá vão,
a pensar estou aqui agora
histórias aos filhos outrora
os pais cantavam ao serão!

Mas com a chegada da nova tecnologia,
pela água abaixo lá se foi a tradição
convivência familiar como antes havia
está viajando para uma outra dimensão!

Nele se fazem pesquisas fantásticas,
não se alimenta de ervas como o jumento
também no lombo não carrega as cangalhas
 do que ele mais rápido só o pensamento!

Enquanto posso continuar,
aqui neste mundo sonhando
por não ser proibido pensar
no que estou aqui pensando
nem eu sei se devo acreditar?

De que a vida está penhorada,
só se libertará da penhora
quando daqui se for embora
para onde tudo acaba em nada!
(Edumanes)