quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

"FLORES DE OUTONO"

 Que as mentiras alheias, não confundam as nossas verdades!
  Não se acrescentem dias à vida, mas vida aos dias!
Ninguém prometa dar a outrem,  o que para si não tem!

Essas flores perfumadas,
das pétalas exalam perfume
pela natureza apaixonadas
de outras não sentirão ciúme?

São flores de felicidade,
não a dor que mais apoquenta
sem ter dó nem piedade!

Recebeu como protectora,
de bom agrado a liberdade
gente sincera não tem maldade
dos seus deveres cumpridora!
(Edumanes)

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

"SOBRE MANTO DE VERDURA CÉU AZUL"

Optimista com esperança,
 não é ver o mundo perfeito
mas é acreditar na mudança 
de um mundo imperfeito!

Sem razão não me queixo,
de viver não me apoquento
enquanto na vida bem me vejo
com o que de bom, ainda, tenho
o dobro a boa gente desejo!
(Edumanes)

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

"SEM SEGREDO"

Com amor e paixão,
guardo dentro do peito
bem junto do coração
essa flor sem segredo.

 Onde está acomodado,
 o meu melhor amigo
sempre para todo o lado
continua viajando comigo.

Nunca se separará de mim,
no meu peito gosta de habitar
me acompanhará para lá do fim
com tudo o que posso imaginar
estou contente por ser assim!
(Edumanes)

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

"A ROSEIRA TEM ROSAS E ESPINHOS"

Passa-se no Parlamento,
na bancada dos centristas
eles e elas fazem pé de vento
 só para darem nas vistas!

Ai seu fosse primeira ministra,
diz ela com dores de cotovelo
triste sorte de quem nela acredita
bem eu a sua manha percebo!

Rodeada de muitos amores,
ela vive no mundo da aventura
nada fez a bem dos agricultores
outrora Ministra da Agricultura!

Na vida de muita gente,
será como ai que mal soa
não a conheço pessoalmente
nada tenho contra a pessoa!

Cujo o seu nome, não o vou aqui dizer,
para não causar mais mau estar nem inveja
a quem trabalho o pior poderá acontecer
neste pais, se ela conseguir o que deseja?
(Edumanes)

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

"ROSA ALBA"

 Saí de casa a pensar,
como é tão bela a vida
regressei a casa pensando
a vida é para ser vivida,
neste mundo vou andando
enquanto a morte deixar!
(Edumanes)

domingo, 25 de novembro de 2018

"VENHAM VER O ALENTEJO"


Dizem que é um deserto,
as más línguas em desatino
para terem a certeza
de que não estou mentindo
de Trás-os-Montes e do Minho
venham visitar o Alentejo,
não tem espumante Alvarinho
mas tem boa pinga na Vidigueira
do branco e, também, do tinto!

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

"MAIS PESADA DO QUE PENA A VOAR"

Triste anedota sem graça que ouvi contar,
 quem a contou mais à laia de, triste, gozo,
quando morrer de pé poderá ter de ficar
quem no mundo não tem onde cair morto?

De sede, se lamenta com sentimento profundo,
a morte da preguiça com a água até ao pescoço
 ainda não confirmada esta notícia, do outro mundo
 onde não se sabe o que mais lá poderá acontecer
 nem se é ou não do que este mais maravilhoso?
(Edumanes)

terça-feira, 20 de novembro de 2018

"ALBERNOA"

Ai ai meus senhores nesta vida que é tão boa,
com as mãos nas algibeiras, ao passar por Albernoa
ouvi cantar as janeiras. Ouvi cantar as janeiras
Ai ai nesta vida que é tão boa.
 Albernoa Baixo Alentejo. Outrora do latifundiário
nesta vida que é tão bela, nesta vida que é tão dela
cada vez gosta dela. Neste pais que é tão pequeno.
Ai ai meus senhores, não sei onde cabe tanto larápio.
Onde cabe Tanto larápio, sim senhor pois então.
Tenho saudades do Alentejo,
da terra que me viu nascer, às escuras, sem luz.
Sem luz acredito. Acredito, Como outrora havia, 
no Alentejo já não há pão. Alentejo terra de trigo,
considerado que foi, outrora, o celeiro da Nação.
Semeado na terra lavrada, a rigor.
A rigor, não andor. Andor diz-se a quem descontente
está aqui. Então que vá embora. Mas não no andor
que transporta a Santa Nossa Senhora Virgem Maria
mãe de Jesus. Mãe de Jesus, reza a história,
pelos traidores foi crucificado, na cruz.
 Glória ao Pai, ao Filho  e ao Espírito Santo, amém
Amém, sempre assim foi é, e será?
a hora é para todos, a merenda para quem a tem!
(Edumanes)

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

"NO CÉU AZUL"

Já não têm conserto,
barulhentas altas vozes
alvoroço, desassossego
estão gastas as artroses!

Com a chuva em repouso,
está um dia soalheiro
neste mundo maravilhoso
o Sol brilhar, no céu, vejo!
(Edumanes)

domingo, 18 de novembro de 2018

"PRAIA DESERTA"

Bem se sentindo com a sua beleza,
debruçada no parapeito da janela
com alegria, disse adeus à tristeza
sem que algo pudesse fazer por ela!

 Virgulina, mulher bela,
apaixonada pelo Virgulino
num encontro amoroso
já depois do sol posto
como quisera o destino
que fosse numa praia deserta
com as ondas em alvoroço.

Num bailado arrebatador,
à luz da Lua no céu prateada
numa louca paixão de amor,
de estrelas luzentes cercada!

Corpos unidos um no outro
por afectuoso relacionamento
não há nada mais maravilhoso
do que um amor ternurento!
(Edumanes)

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

"O SOL NO CÉU, NA TERRA AS FLORES"

Contrariar não pretendo,
quem não pensa como eu
do que agora noutro tempo
em Portugal pior se viveu!

De noite e de dia,
sendo mais a tristeza
menos era a alegria
vivida na incerteza!

Não só por falta de electricidade,
aqui em Portugal, vivia-se às escuras
impostas pela dita, dura austeridade
mais tormentosas eram amarguras!

Não tenho desse tempo,
nenhumas saudades
mais liberdade agora tenho
para dizer as verdades!

Sem medo sejam ditas, entendo,
para quem nelas, ainda, acredita
mentiras dizem-se no Parlamento
só aos deputados enchem barriga!

Navegam os barcos no rio,
são mais do que meia dúzia
deputados, mais compadrio
nunca se viu tanta balbúrdia?

Mesmo assim sendo,
no meio de tanta batota
melhor agora se vivendo
do que se vivia outrora!

Para quem quiser acreditar,
nestas verdades que escrevi
tenho uma casa para morar,
 Novembro mês de pagar IMI!

 Está na moda do mais pagar, 
cada vez menos se recebendo
por entre as flores a caminhar
aqui na terra vendo a brilhar
o Sol no céu azul me contento!
(Edumanes)

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

"VALE A PENA VER E OUVIR"

Da cepa de uma videira,
não para me emborrachar
bem sentado numa cadeira
não alérgico à trabalheira
fiz um cachimbo para fumar!

Para isso foi preciso ter habilidade,
tenho alguma, não me estou gabando
mas, se houvesse mais solidariedade
menos gente estaria protestando?

Quanto mais atafulhava de tabaco a fornalha,
mais parecia o comboio a deitar fumo pela chaminé
logo me fez lembrar, em Angola, do comboio Mala
sobre os carris entre as montanhas fazendo banzé!

Viajei nele de Silva Porto-Gare até à cidade do Luso-Luena,
nele regressei à cidade de Silva Porto-Gare, actualmente, Kuito
do que o Camacouve tinha mais luxo,  bem que valeu a pena
aquele pais que outrora foi colónia portuguesa ter conhecido!
(Edumanes)

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

"URZE"

De uma cepa fiz um pião,
de fios de linho fiz um cordel
num talego vazio sem farnel
para a merenda não havia pão!

Sempre houve e há descontentamento,
sempre houve e haverá arrogância,
a viajar, continuam no pensamento
 lembranças, essas, da minha infância!

Nada disso estou inventando,
sem azeitonas um corno vazio
pelas faces corriam-lhe a fio
lágrimas dos olhos chorando!

Um alentejanito dizia,
tenho fome, ó! mãe dá-me pão
nos olhos, com lágrimas de tristeza,
magoado sentindo o seu coração
não filho! Sua mãe respondia. . .
O pão é para o teu pai comer
logo à noite, quando chegar do trabalho
com um feixe de lenha enfiado na cabeça!
(Edumanes)
"Em algumas zonas do Baixo Alentejo. Era costume os homens à noite regressarem do trabalho com um feixe de lenha às costas.  Para acenderem o lume e nele, ao serão, se aquecerem".

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

"ALENTEJANISMOS...COM TRADUÇÃO"

Texto que Maria Florindo, professora do 1.º ciclo do Ensino Básico e da Universidade Sénior de Évora, publicou no jornal alentejano Tribuna Alentejo (14/08/2014), acerca dos regionalismos alentejanos.


Eu - Abalei às 15h…

Ele - Tu o quê??

Eu - Abalei…

Ele - O que é isso?

Eu - Ora, fui-me embora…

Todo o bom alentejano “abala”, para um sítio qualquer, que normalmente é já ali. O ser já ali é uma forma de dizer que não é muito longe, mas claro que qualquer aldeia perto aqui no Alentejo está no mínimo a cerca de 30km. Só um alentejano sabe ser alentejano!

Um alentejano “amanha” as suas coisas, não as arranja, um alentejano tem “cargas de fezes”, não tem problemas, um alentejano vai “à do ou à da…” não vai a casa de…, um alentejano “inteira-se das coisas” não fica a saber… No Alentejo não há aldrabões há “pantomineiros” e aqui também não se brinca, “manga-se”.

No Alentejo não se deita nada fora, “aventa-se” qualquer coisa e come-se “ervilhanas” ou “alcagoitas” (amendoins) e “malacuecos” (farturas). Os alentejanos não espreitam nada nem ninguém, apenas se “assomam”… E quando se “assomam” muitas vezes podem mesmo ter dores nos “artelhos” (tornozelos)!

As coisas velhas são “caliqueiras” e muitas vezes viaja-se de “furgonete” (carrinha de caixa aberta), algo que pode deixar as pessoas “alvoreadas” (desassossegadas). Quando algo não corre bem, é uma “moideira” (chatice) e ficamos “derramados” (aborrecidos) com a situação, levando muitas a vezes a que as pessoas acabem por “garrear” (discutir) umas com as outras e a fazerem grandes “descabeches” (alaridos).

“Ainda-bem-não” (regulamente) as pessoas têm que puxar pela “mona” (cabeça) para se desenrascarem quando muitas vezes a solução dos seus problemas está mesmo “escarrapachada” (bem visível) à sua frente.

Não estou “repesa” (arrependida) de ter escrito esta pequena crónica, com vista a lembrar detalhes do património oral que nos é tão próximo e muitas vezes de “bradar” aos céus. “Dei fé” (pesquisei) a algumas expressões e tentei não vos criar, a vós leitores, uma grande “moenga”, apenas quero que guardem algumas destas expressões na vossa “alembradura” (lembrança)!

sábado, 10 de novembro de 2018

"MESMO, EM TEMPO DE PAZ"

Quem na incerteza
 espera desespera,
 à conta da pobreza
 a riqueza prospera!

Na terra semeadas,
cantarolando mais bela
se torna a vida no campo
sobre flores e verdes searas
vendo as borboletas voando
já pensando na Primavera
ainda agora no Outono!

Há coisas que não sendo capaz,
entre aquelas que não percebo
uma delas é os soldados da paz
 declararem guerra ao governo?
(Edumanes)

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

"A TENDA DO JOÃO"

Quatro alentejanos costumam ir pescar há muitos anos, sempre na mesma época, montando um acampamento para o efeito.

Este ano, a mulher do João bateu o pé e disse que ele não ia. Profundamente desapontado, telefonou aos companheiros e disse-lhes que, desta vez, não podia ir porque a mulher não deixava.

Dois dias depois, os outros chegaram ao local do acampamento e, muito surpreendidos, encontraram lá o João à espera deles e com a sua tenda já armada.

– Atão, João, comé que conseguisti convencer a tua patroa a deixar-te viri?

– Bêm, a minha mulheri tên estado a ler “As Cinquenta Sombras de Grey” e, ontem à nôte, depois de acabar a última página do livro, arrastô-me para o quarto. Na cama, havia algemas e cordas!

Mandô-me algemá-la e amarrá-la à cama e opois disse: Agora, faz tudo o que quiseres…


E Ê … VIM PESCA

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

"PATO MARRECO"

Já não se ouve o Cuco cantar em Março,
nem a Rola se ouve como se ouvia em Abril,
 outrora no Monte de Alguidares de Baixo
  como símbolo à entrada tinha um canzil!

Diziam que era de uma canga,
que não estava sendo utilizada
no cachaço dos bois ganhou fama
sem penalizações foi reformada!

A um passo de gigante,
no Monte do Vale Travesso
havia uma Vaca elegante
e um Pato Marreco!

Uma galinha coscuvilheira,
um Papagaio e um Melro.
Estranhando a certa altura
por não ouvir o Melro cantador,
o papagaio resolveu porventura
perguntar à galinha coscuvilheira
se sabia onde estava o impostor!

Cua cua, interveio o Pato Marreco,
aqui no Monte ouviram-se rumores cua cua
que esse mariola por se armar em esperto
esteve na gaiola mas já lá não estará?
(Edumanes)

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

"LOCOMOTIVA A VAPOR"

Hoje, estou aqui recordando. Muitos anos se passaram.  Há mais de meio século.  Era como é hoje dia de Todos os Santos. Com a saudade e a incerteza de voltar ou não ao cais marítimo de onde partimos. De Nacala com destino a Vila Cabral, nos confins do Norte de Moçambique. Viajava-mos num comboio cuja a locomotiva era movida a vapor. Chegamos lá no outro dia, ao princípio da noite, com chuva normal. Eram p'raí sete e picos oito e coisa nove tal. 
 Desejo um bom dia de Todos os Santos, a todos aqueles que por aqui passarem, bem como aos que .por motivo de força maior não o possam fazer!

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

"COMERAM TUDO"

Não sei, não quero saber,
do que não me diz respeito
 não tenho gostava de ter
inspiração para escrever
poemas do amor perfeito!

Mas, sem ela não consigo,
tão pouco escrever o mote
também e, porque acredito
estou esperando que volte!

Hoje acordei aporrinhado,
bem acompanhada ou não
já a não vi em nenhum lado
 nem de pijama nem dempelão!

Quem sem preocupação vive a vida em paz d'alma,
tanto se lhe dá que a água corra para cima ou para baixo
 como qualquer pançudo nunca de abundância se farta
 também nunca o comilão pretende largar o tacho?
(Edumanes)

domingo, 28 de outubro de 2018

"NUM DIA DE PRIMAVERA!

Fui a Beja sozinho, mas
de lá sozinho não voltei
guardada no coração
por quem me apaixonei
de lá voltei com a paixão!

Se essa paixão se amuar
 a saudade não se aborreça
a vontade de lá voltar
agora, não me sai da cabeça!

Pelo caminho da felicidade,
qualquer dia, estou pensando
até que apareça a oportunidade
com a esperança vou andando!

Com o desejo de lá chegar,
ainda antes do nascer do sol
se no caminho não atrapalhar
 a presença do vagaroso caracol!

Sem pressa parado a olhar,
para as borboletas voando
vendo as formigas a trabalhar
ouvindo as cigarras contando!
(Edumanes)

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

"NO CÉU AZUL BRILHA O SOL"

Se quem vive não vivesse,
vozes do bem nem do mal ouvia
ninguém perde o que nunca teve
vive triste quem não tem alegria!

Seguindo as estrelas,
com o destino vou andando
do meu caminho as tristezas
 enquanto posso afastando!

No Céu de dia, dourado, vejo o Sol,
à noite as estrelas e a Lua prateada
amarela vejo a flor do girassol
castanhos os olhos da minha amada!
(Edumanes)

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

"VESTIDAS DE LUTO"

Na Cerca das Oliveiras,
viviam duas gaiatas
usam brincos nas orelhas
nos pés calçavam chanatas!

Penso, não tenho a certeza,
cuecas usavam debaixo da saia
para mostrarem a sua beleza
 só de biquíni andavam na praia!

Na cerca havia alegria,
elas riam à gargalhada
como em redor não se via
outra, assim, tão animada!

Um dia as duas desarvoradas,
para onde não se sabe, foram embora
não mais se ouviram como outrora
lá na cerca as suas gargalhadas!

Não se sabe onde estarão,
nenhuma delas mais voltou
juntamente, com a solidão
 na cerca o silêncio se instalou!

Já não parece a mesma d'outrora,
de noite e de dia, sem a sua presença
as azeitonas cada uma suas lágrimas chora
vestidas de luto sentem a sua ausência!

Todos as querem de volta,
sem mais demora para a cerca
pode ser que a qualquer hora
com elas a esperança apareça?
(Edumanes)

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

"CABELOS AO VENTO"

Ontem à noite ouvi soluçar,
em desordenada sinfonia
era a saudade a chorar
a morte de mais outro dia!

Com sete letras se escreve,
pois bem, a palavra saudade
são tantas como as de Idalete
com três Mãe e dez felicidade
quem as têm não as despreze!

Não deixa que a vida bela,
se transforme num tormento
menina que estás ou não à janela
com os teus cabelos ao vento!

Em ambiente de harmonia,
de noite rezando junto à cruz
desses eu olhar que inebria
em seu redor, raios de luz!

Não ficarei desiludido,
se o amor não é ilusão
por ser o melhor amigo
 confio no meu coração!

Pensando em ti adormeço,
 cedo, acordo em ti a pensar
dizes que o teu amor mereço
 estou, tão, feliz por te amar!
(Edumanes)

domingo, 21 de outubro de 2018

"ESTRADA FORA"

Partiste sem me avisar,
porque estás indo embora
magoado fica o meu coração
com esperança a toda a hora
 por ti continuo a esperar
 tira-me desta solidão!

Por viver longe de ti,
não sei mais o que fazer
esperando ansioso estou aqui
para nos braços te receber!

Louco por ti estou ficando,
para sossegares o meu coração
loucamente, te estou amando
vem acalmar ardente paixão!
(Edumanes)

sábado, 20 de outubro de 2018

"FLOR DE OUTONO"

Tão depressa vendo o tempo correr,
com a vida que outra melhor não tenho
neste mundo onde mais gosto de viver
não tendo outro remédio me contento!

Fui pastor, guardei gado,
na planície alentejana
no Alentejo nasci e fui criado
à chuva, ao frio e ao calor
desejo-vos bom fim de semana
com o perfume dessa flor!
(Edumanes)

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

"ESTÁDIO CIDADE DE COIMBRA"

Já passei algumas vezes pela Sertã,
em nenhuma delas por lá vi o Sertanense
num jogo a realizar hoje não amanhã
 em Coimbra, derrotar o Benfica pretende?

Que o Benfica lá vá perder,
 nessa, ai, é que eu não acredito
mas, como tudo pode acontecer,
pela RTP1, vai ser transmitido!

Serviço publico de televisão,
não faz mais do que é o seu dever
aos contribuintes custa um dinheirão
nenhuma mentira estou a dizer! 
(Edumanes)

terça-feira, 16 de outubro de 2018

"POEMA DO DIÁLOGO"

Bem eu me lembro disso,
de dia ou de noite ao serão
dialogavam esposa e marido
quando não havia televisão!

 Não nos iludamos meu amor,
com promessas sem sentido
 saúde na vida tem mais valor
nunca nos esqueçamos disso!

 Bem como se quisermos colher,
temos de atirar as sementes à terra
neste mundo o tempo passa a correr
de chegar ao fim não tenhamos pressa?

Com o que dizem não nos importunemos,
nunca queiramos com falsidades ganhar fama
não importunados por ciume felizes viveremos
acariciando quem amamos e quem nos ama!
(Edumanes)

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

"BELEZA OS OLHOS VÊEM"

Quem goza de liberdade,
culpado sem condenação
não há dias sem claridade
nem noites sem escuridão!

Se tudo muda com o passar do tempo,
então que a mudança seja para melhor
 aprendi a viver só com aquilo que tenho
 não com o alheio que vejo em meu redor.

Se quem ama sente amor no coração,
como eu tento não viver descontente
nem embarcar em viagens de ilusão?

Por eu nelas não acreditar,
não corro atrás de promessas
para depois não me lamentar
de que fui enganado por elas!
(Edumanes)

domingo, 14 de outubro de 2018

"OLHEM SÓ, QUE BELEZA"

Oiçam bem com atenção,
se preferirem gozar ferias
já passou o furacão
vão sem medo para o Havai
meus senhores não são lerias
não façam ouvidos moucos
aqui não temos Wi Fi
falem uns com os outros!
(Edumanes)

sábado, 13 de outubro de 2018

"FANTÁSTICO"

 Neste pais há boa pinga,
 também gente talentosa
 tem uma vaca bailarina
 um galo que toca viola!

Outras coisas mais há ainda,
o pior é se a galinha poedeira
vê o galo com a vaca e desatina
vai haver guerra na capoeira!

Se essa moda, pega, porventura,
poderá até causar algum alvoroço
a quem quiser ver a pega-rabuda
 dançar nos cornos do boi vaidoso!
(Edumanes)

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

"ROSAS VERMELHAS"

Sem fogo não há fumo,
nem roseira sem espinhos
sem abraços e beijinhos
não há amor profundo?

Minha aldeia pobrezinha,
verás,  se um dia lá fores
 que é linda mais linda ainda
por venderem lá flores!

O povo português é bonzinho,
sem nunca perder as esperanças,
só quando em silêncio não faz banzé
com paciência espera por São Martinho
 não sei com quantos sacos de castanhas
 nem quantos são os almudes de aguapé
 a menos de um mês, vem a caminho!

De nada adianta quem tem pouco,
ou quase nada viver descontente
nem reclamando constantemente
os políticos ouvem a voz do povo!

No país do trabalhador mal pago,
quem pensará que eles a ouvem
só pode, mesmo, estar enganado
se alguns privilegiados não fossem
 este pais não estaria endividado?
(Edumanes)

terça-feira, 9 de outubro de 2018

"ATIRANDO BEIJOS"

Sinto o vento a passar,
não o vejo, é transparente,
neste mundo a trabalhar
toda a vida humildemente!

Nem triste nem alegre,
agora na aposentação
 faço o que me apetece
 por vontade do coração!

Bem se sente na vida,
com as suas ambições
Deus lhe deu a beleza
 por dela ser merecida
com as suas paixões,
aquela gaiata trigueira
conquistando corações!

No vão da minha janela,
a sós com os meus desejos
 pela rua a caminhar vai ela
 para todos atirando beijos!

Não sei para onde o vento o levou,
desconheço qual terá sido o seu fim
dos inúmeros beijos que ela atirou
de certeza um deles seria para mim?
(Edumanes)

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

" CLIVIA"

Na vida será bem vivido,
se perfeito for o amor
sem ciumes, eu, acredito
em cada folha uma flor?
(Edumanes)

domingo, 23 de setembro de 2018

"SÓ VISTO"

Aqui tudo tem grandeza,
neste pais tão pequeno
bem o digo com franqueza
há coisas que não entendo?

Ó careca tira a boina,
sem dores de cotovelo
bem conheço a tua ronha
é moda andar em cabelo.

Na madeira português ilhéu,
nasceu como o caruncho
oriundo daquele povo
agradecendo olha para o céu
ao Senhor, quando marca golo
o melhor futebolista do mundo!

Só visto, contado ninguém acreditaria,
o Estádio de futebol Doutor Magalhães Pessoa
transformado em stand de automóveis, em Leiria
 construído terá sido como outros foram à toa?
(Edumanes)

sábado, 22 de setembro de 2018

"POEMA-APELO"

MOTE
Procuradora Lucília Gago,
seja do Sul ou seja do Norte
do rico descriminado
pela justiça não seja o pobre!

Em Portugal, o corrupto político,
pela justiça não tem sido condenado
porquanto, aqui está, mesmo, sendo visto
ninguém acreditaria se fosse contado?

Nos pobres mais ferra,
com a ponta  do aguilhão
diz-se que a justiça é cega
será para uns outros não?

Não faça juras em vão,
ao tomar posse do cargo
cumpra bem a sua missão
Procuradora Lucília Gago!

Não feche os, seus, olhos às injustiças,
com os, seus, ouvidos oiça bem a voz da razão
para se evitarem cancerosas feridas,
condenem-se os prevaricadores da corrupção!
(Edumanes)

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

"NOME ESCRITO"

Por alguém aqui foi visto
de repente desapareceu,
deixou o seu nome escrito
com letras da cor do céu,
em busca do amor perdido
quem perdido anda sou eu!

Por vontade do coração,
bem me sinto com alegria
na companhia da paixão!

De um amor que não se esquece,
mas como a luz do sol ao fim do dia
na escuridão da noite desaparece!
(Edumanes)

terça-feira, 18 de setembro de 2018

"SOBREIRO SOLIDÁRIO"

Imaginando, não em desespero,
no Alentejo descansando estava o mote
protegido do calor à sombra d'um sobreiro
esperando que do céu caísse a sorte?

Num monte do Baixo Alentejo,
nasci rodeados de chaparros
mas, eu cá, nenhum deles invejo
por serem, do que eu, mais altos!

Não quero pensar mas penso,
sem que o consiga evitar
limpo as lágrimas com o lenço
quando os olhos sinto chorar!

Dos bons momentos vividos,
ainda, agora, sinto saudades,
ao bem estar na vida propícios
 sem invejas nem rivalidades!

Por todo o serviço prestado à Nação,
do qual e pelo qual me sinto orgulhoso
bem como do seu reconhecimento mavioso
para sempre guardado no meu coração!
(Edumanes)

domingo, 16 de setembro de 2018

"COTOVIA"

Quando o poeta escrevia,
versos de sua imaginação
das asas de uma cotovia,
duas penas caíram no chão!

Um veleiro no mar à deriva,
navegava na furiosa ondulação
para os passageiros calma dizia
 a sua bem instruída tripulação!

Amor, paixão e ternura,
muitos beijinhos e abraços 
havia água com fartura
num dos porões inundados!

No céu azul como cá,
viram nuvens cinzentas
os que assaram para lá,
do Cabo das Tormentas!

À descoberta do futuro,
veleiro no mar navegou
rumou para porto seguro
onde, sem rombo, ancorou!
(Edumanes)

sábado, 15 de setembro de 2018

"CEARA SE TRIGO"

Isso foi no outro tempo,
encostado a um bordão
lá no campo sempre atento
para agradar ao patrão!

Ter poder é ser mandão,
por vezes com exagero
contra o humilde cidadão
como outrora o manageiro.

O trigo que nos dá o pão,
vendo as mulheres mondar
de tronco direito a olhar
sendo essa a sua missão!

O manageiro, sempre, era,
a favor do, rude, patrão
contra o seu irmão português
instruções terá recebido
para mais um tostão talvez
receber a fundo perdido?

De que era má de gramar,
como cidadão compreendo
neste pais à beira do mar!
(Edumanes)

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

"PERFUME DE JASMIM"

Com a navalha cortei o vento,
no bom sentido que se entenda
sem conseguir parar o tempo
de tanto correr me apoquenta!

 Prisioneiro dentro do peito,
cuja a vida devo ao meu coração
com o devido e merecido respeito
para o fazer pedi autorização!

Sem primeiro o consultar,
nada faço por enquanto
dentro do peito até se cansar
com ele neste mundo ando!

Com o perfume de jasmim,
tanto mais eu gosto de viver
à beira do mar, neste jardim
de manhã vejo o Sol nascer!
(Edumanes)

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

"ALIMENTO SAUDÁVEL"

De fabrico alentejano,
se você dele comesse
de certeza sem engano
não há pão como esse!

O calor está d'abalada,
do Reino de Portugal e dos Algarves
não se inervem tenham calma
dele vamos ter saudades!

Se o frio, mais, apoquenta,
o que é bom mais depressa tem fim
quem de outra maneira pensa
pensará diferente de mim?

Não sendo nenhuma novidade,
todavia, bem eu o compreendo
por ser da natureza realidade
ninguém consegue parar o tempo!

Quanto antes, que o faça então,
se alguém com vontade seja capaz
para que todas as crianças tenham pão
 em todo o mundo estabeleça a paz!
(Edumanes)

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

"A ESCOLHA É SUA"

Estou aqui pensando,
do ovo nasce o passarinho
seja tinto ou seja branco
de uva se faz bom vinho!

O equilíbrio se mantém,
ingerida com moderação
uma boa pinga à refeição
não fará mal a ninguém?

 Mas, se for feito a martelo,
toda a noite no estômago martelar
não a marmelada feita de marmelo!
Será que noutra estão a pensar?
(Edumanes)

sexta-feira, 7 de setembro de 2018

"A PAISAGEM NÃO ENGANA"

Sem água na fonte,
no fim tudo acaba
paisagem amarelada
vejo-a lá no monte!

Quando o Verão abala,
para dar lugar ao Outono
vejo a terra sendo lavrada
não é nenhum engano!

O Sol vai e, sempre, volta,
como o Verão, volta, também
neste mundo depois de morta
a vida mais vida não tem?
(Edumanes)

domingo, 2 de setembro de 2018

"EM ALTO MAR"

Para melhor se viver,
neste mundo haja paz
o tempo passa a correr,
vou ficando para trás!

Longe daqui noutros tempos,
desalvorados para outras bandas
muitos dos meus pensamentos
navegaram ao sabor das ondas!

Por mim jamais esquecidos,
como barco no mar à deriva
recordando os tempos idos
 como posso vivendo a vida!
(Edumanes)

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

"TODA A VIDA A PEDALAR"

Para vos acompanhar,
já não tenho pedalada
enquanto continuo a sonhar
sem parar, o tempo passa a correr
 se é que no fim tudo acaba em nada
 mas, ainda, antes disso acontecer
para bom fim de semana vos desejar
estas palavras acabei de escrever!
(Edumanes)

segunda-feira, 27 de agosto de 2018

"SOU EU"

Já hoje, aqui, trovejou,
sem perturbar a calmaria
aqui no Alentejo de onde sou
tão quieto, nessa fotografia
vejam, lá bem, como estou!
(Edumanes)

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

"PRAIA DO ALMOGRAVE"

Ar puro é privilégio,
tanto, amo a sua beleza
junto dela não desespero,
onde sinto mais moleza
sendo, aqui no Alentejo
benefício da natureza!
(Edumanes)

sábado, 11 de agosto de 2018

"SURFANDO"

Nas ondas do mar,
vendo como desliza
dá gosto para ela olhar
sentindo a fresca brisa
na prancha a surfar!

Voltar não poderei,
sei que antes de abalar
de onde, ainda, não abalei
será impossível voltar?
(Edumanes)

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

"PAISAGEM ALENTEJANA"

O Alentejo não é um deserto,
a sua beleza ninguém engana
em cada pé calça um chinelo
veste camisa e calças de ganga!

Para ver a cor, azul, do céu,
mais vagaroso do que um caracol
na cabeça coloca um chapéu
para a proteger do calor do sol!

Tô aqui descansando de cansado,
mas, nunca desta vida maravilhosa
 desde que nasci, por muito já ter feito
se tenho sede bebo água pelo cocharro
 durmo a folga à sombra do sobreiro
onde o silêncio não me incomoda!
(Edumanes)

terça-feira, 31 de julho de 2018

"FLOR PERFUMADA"

 Essa flor em sua mão,
 não a deixa murchar
 vá depressa para a regar
  buscar água no caldeirão!

Só quem no coração o sente,
sinceramente, de amor saberá falar
dizem, à boca cheia, constantemente
 de que o calor está quase a chegar?

 Por ser de todos um dever,
 cada um respeito por todos tenha
estou, aqui, pronto para o receber
quando, ele, quiser que venha!
(Edumanes)

domingo, 29 de julho de 2018

"BEIJOS À CHUVA"

Quem nos lábios se beijando assim,
nessa loucura felizes sempre sejam
acredito,  a beleza nunca terá fim
enquanto houver olhos que a vejam?

Para seu bem não a destrua,
atitude natural de quem ama
por ser a melhor amiga sua
junte-se a ela se triste anda?
(Edumanes)

sábado, 28 de julho de 2018

"PÊNISCÓPIO"

Sem ter de recorrer, portanto
a essa, inventada, geringonça,
se é que quer continuar a viver
mude antes que seja mais tarde
para a alimentação vegetariana,
se diminuído mal o consegue ver
faça sempre o melhor que sabe
sem lhe perturbar o descanso!