domingo, 13 de maio de 2018

"VERDES AZEITONAS"

"Verde foi meu nascimento.
mas de luto me vesti
para dar a luz ao mundo
mil tormentos padeci"

Maduras gosto das maganas,
verdes, elas,  não se comem
também precisa de azeitonas
só se pão não vive o homem!

Numa noite de primavera,
a Lisboa conseguiu chegar
em silêncio e máxima cautela
saiu de Santarém sem avisar!

Mais vale tarde do que nunca,
em defesa da mui Nobre Nação
por justa causa sem dúvida alguma
do seu lado o povo tinha a razão!

Povo humilde tem cuidado,
Com suas ideias retrógadas,
bem arraigadas ao passado
andam por aí figuras tortas!

Elas continuam ansiosas,
para a ver sair daqui porta fora
por não gostarem dela assim
afiada querem a tesoura da poda
para podar os cravos e as rosas
e outras flores deste jardim!

Agindo com humildade, 
o povo é quem mais ordena
sejas bem vinda liberdade
esperar por ti valeu a pena!

Mas, em Portugal, presentemente,
quase nada ou nada está ordenando
porquanto, que, à canta de rica gente
gente rica bem na vida está gozando!
(Edumanes)

18 comentários:

  1. Olá. Gostei muito da foto das azeitonas e do poema.

    * Olhares e Deslumbres *
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Uns ainda conseguem comer azeitonas enquanto outros assaltam o olival, triste país este.
    Um abraço e bom Domingo.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderEliminar
  3. Belíssimos versos e ricas azeitonas alentejanas!
    Vamos ver o Benfica. compadre Eduardo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deus evite a desgraça,
      o treinador está tonto
      a esperança é escassa
      com o Luisão em campo?

      Eliminar
    2. Deus ouviu o meu pedido,
      evitou a derrota da Benfica
      tem o segundo lugar garantido
      e de milhões avultada quantia!

      Eliminar
  4. Como sempre espectacular.
    Bom restinho de domingo e uma excelente semana
    Um abraço
    Maria from
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
  5. ……….
    Boa noite. Visitando e como sempre, ficando fascinado com a sua publicação. Simplesmente brilhante.
    .
    * Mulher = Ventre de Vida...( Poetizando) *

    ResponderEliminar
  6. Adoro azeitonas, mas pretas :p
    Gostei do poema!

    r: Obrigada e igualmente

    ResponderEliminar
  7. Maravilhoso poema !!! Loool Parabéns! :)
    Beijo. Boa noite.

    ResponderEliminar
  8. Pois caro amigo Eduardo, aqui no Brasil não é diferente, pois as coisas também andam tortas. Um abração. Tenhas uma ótima semana.

    ResponderEliminar
  9. Amigo Eduardo,
    Só de pensar no pão e no azeite alentejanos já me está a dar fome.
    Delícia!!
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderEliminar
  10. A foto está linda, e o poema, mais uma vez de denúncia a uma sociedade que parece não ter jeito. Salvam-se as azeitonas.
    Abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  11. Gosto de ouvir os azeitonas! Gosto de comer azeitonas! Gosto do nosso Alentejo e gosto dos teus poemas, força aí na caneta meu amigo.

    O meu abraço.

    ResponderEliminar