terça-feira, 14 de outubro de 2014

"O VENTO ABRANDOU"

(Imagem Google)
O sol nasceu!
o vento abrandou
a saia que desceu
 lindas pernas tapou
a nuvem desapareceu
no céu azul o sol brilhou
na verde planta floresceu
uma linda flor, já murchou,
não resistiu à tempestade
cujo perfume lhe roubou
  feriu a sua intimidade,
para trás não olhou
triste pelo acontecido
ao certo ninguém sabe
dos olhos no chão terão caído
 muitas lágrimas de saudade!
(Eduardo Maria Nunes)

6 comentários:

  1. Abrandou o caraças, na Figueira Minha continua em atividade!

    ResponderEliminar
  2. Olá Edu,
    Que pena que a linda flor desfaleceu, não suportando os ventos e a tempestade, ficou na saudade e sucumbiu. Lindo poema!
    Deixo abraços com muito carinho
    Marilene

    ResponderEliminar