domingo, 17 de novembro de 2019

"TIPICA VILA ALENTEJANA"

Desde pequenina,
por ser como é sente brio
quando lá faz buzaranha
se sente incomodada
no Inverno sente frio
no Verão esturrina,
mas, ela não estranha
por já estar habituada!

Com o seu casario,
caiado de branco
na encosta junto ao rio
Odemira é um encanto!

 Eu a vejo pelo Rio Mira,
ser beijada com trambelho
no Baixo Alentejo, típica vila
Odemira é o meu concelho!
(Edumanes)

11 comentários:

  1. Boa tarde dominical, Edu!
    Muito bonita a adesao ao seu conselho demonstrando carinho e gratidao.
    Todos temos saudade e respeito pelo lugar em que nasce nosso 💟.
    Tenha uma nova semana abencoada e feliz!
    Abracos fraternos de paz e bem

    ResponderEliminar
  2. Versos que retratam a sua zona. Adorei :))

    Hoje -:-Sentimentos entrelaçados.

    Bjos
    Votos de um óptimo Domingo

    ResponderEliminar
  3. Cada um gosta da sua terra, por mais feia que ela seja!
    Assim acontece comigo também e não tem lá nada que preste!

    ResponderEliminar
  4. Parabéns pelo excelente poema :)!!

    Beijos. Boa noite.

    ResponderEliminar
  5. Gostei de ler. Esturrina é um termo regional? Procurei no dicionário para ver se queria dizer o que eu pensava e não encontrei.
    Não tem conta as vezes que na estrada passei pela placa que indica Odemira, mas nunca lá fui. E pela foto parece bem bonita.
    Abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dizer que está um "briol" é o mesmo que dizer que está muito frio. Dizer que está uma "esturrinha" é o mesmo que dizer, que está muito calor!
      Em Odemira no Inverno faz frio e no Verão faz muito calor!

      Eliminar
  6. O Alentejo é todo muito bonito.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderEliminar
  7. Para quem não conhece Odemira, ao ler este seu belo poema, fica com imensa vontade de a conhecer.
    Votos de uma excelente semana!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Parabéns pela sua amada Odemira, muito bonita.
    Quando menina, passava no comboio sobre a ponte, a caminho do Algarve
    e ficava a olhar a olhar... Nunca aconteceu conhecê-la...
    Sabia quando entrava no Algarve pelo cheiro. Nesse tempo, toda a região
    cheirava a figos a secar nas suas camas aromáticas...

    Não gostou do meu poema sobre o beijo... tenho pena...

    Dias bons e agradáveis.

    Abraço
    ~~~~~~~~~~~~~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar