quarta-feira, 9 de junho de 2021

"AS NUVENS...PARECEM SER DE ALGODÃO"

Graças à evolução,
já ninguém anda a pé
toda a gente tem carro
o Alentejo já não é
como foi no passado
o celeiro da Nação!

Ainda agora estou aqui,
recordando com orgulho
todo o tempo que já vivi
caminhando para o futuro
desde o dia em que nasci!

A vida não é nenhuma balhana,
 de tudo o que há no mundo tem mais valor
outrora andei pela planície alentejana
descalço, à chuva, ao frio e ao calor!

Sem a ter encontrado, desde criança
que ando à procura de melhor vida,
sem nunca ter perdido a esperança
 ainda agora, por lá, em busca de alegria
vagueiam tristezas da minha infância!
(Edumanes)

13 comentários:

  1. Sou filho de pais alentejanos. Esses usavam muito a palavra: Balhana.
    Já tinha saudades de a "ouvir"/ler.
    Poema que muito gostei de ler. Um hino ao bom versejar alentejano
    .
    Abraço de amizade.
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar
  2. Boa noite, amigo Edumanes!
    Saudades da infância marcam, ora são tristes, ora alegres.
    Seja feliz e abençoado!
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderEliminar
  3. Bem me lixaste com essa da BALHANA
    P'ró dicionário tive que ir pesquisar
    Pensei que fosse palavra alentejana
    Afinal é português, tive que aceitar !!!

    ResponderEliminar
  4. Balhana, pilhéria.
    Sinónimos e que não têm nada a viver com a vida.
    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Ora muito bem, há palavras quem nem conheço! :))
    *
    Uma excelente noite.
    Beijos
    -
    Coisas de uma vida.

    ResponderEliminar
  6. Felizmente que o passado difícil e duro "já passou".
    Um abraço e um excelente Dia de Portugal.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderEliminar
  7. Bom dia

    Os seus poemas são feitos
    Mais inspirados no sul
    Será que são os efeitos
    Do açúcar da Sidul

    JR

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vejo a paisagem florida,
      sem nuvens vejo o céu azul
      tudo isso muito me admira
      desde o Norte, até ao Sul
      sou do concelho de Odemira!

      Obrigado pelo comentário poético, bom feriado, Um abraço.

      Eliminar
  8. Ainda em maio tive o prazer de voltar a ver as lindas planícies Alentejanas.
    A minha mãe falava muitas vezes desses tempos bem duros da sua juventude.
    Lindo poema e bela fotografia
    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  9. Um poema que nos faz pensar em como há coisas que mudam e outras que nunca deixam de caminhar ao nosso lado

    ResponderEliminar
  10. Lindo poema e muito verdadeiro tal como era no Alentejo antigamente é verdade eu vou lá e em todas as portas vejo belos carros um bjo e lindo fim de semana.

    ResponderEliminar
  11. Bonitas palavras!
    Aproveito para desejar um bom fim de semana!

    Bjxxx
    Ontem é só Memória | Facebook | Instagram | Youtube

    ResponderEliminar
  12. A vida no Alentejo era durissima em tempos de ditadura, eu sei .

    Nunca percamos a esperança, meu amigo.


    Bom fim de semana e um abraço

    ResponderEliminar