terça-feira, 27 de setembro de 2016

«NO PAÍS DA VONTADE»

Devagar vou andando,
não sei quando lá irei chegar
alegremente, para não chorar,
uma moda vou cantando.

Pararam a alta velocidade,
fizeram descarrilar o progresso
mergulharam o povo na austeridade
só não viraram o mundo do avesso.

Aqui «no país da vontade»
tem perfil de ditador
empestado de ruindade
semeia ódio quer colher amor!

Continua armado em alarve,
como quem tem o rei na barriga
apadrinhando a desigualdade
contra os pobres veneno vomita.

Como quer, asneiras, faz,
de arrogância empanturrado
pensará que é o único capaz,
de falsidade embriagado!
(Edumanes)

6 comentários:

  1. Parece o retrato de alguém que bem conhecemos.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Infelizmente, falta CORAGEM(?) a muita gente, para chamar os bois pelo nome !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Longe, o boi não ouve,
      mesmo que a vaca tussa?

      Eliminar
  3. O fantasma do candimba continua a atormentar-te a vida!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada disso, foi o que me veio à ideia,
      é preciso qualquer coisa aqui escrever
      para não passar o dia sentado na plateia
      sem à frente dos olhos uma morena boa ver?

      Eliminar
    2. Muito bem !
      Visitar blogs e não comentar, é patología de voyeur.

      Saúde e aquele abraço.

      Eliminar